Papa chora diante da violência

sábado, agosto 30, 2014
Papa chora diante da violência

Papa chora diante da violência

O Sumo pontífice fez a revelação durante a Missa diária, em sua casa no Vaticano, afirmando que chorou ao saber sobre os cristãos crucificados na Síria.

O papa Francisco confessou ter chorado ao saber da notícia de que alguns cristãos tinham sido crucificados na Síria nos últimos dias, disse nesta sexta-feira durante a homilia da missa que realiza a cada manhã em sua residência no Vaticano. “Eu chorei quando vi nos meios de comunicação a notícia de que cristãos foram crucificados em certo país não cristão”, explicou o papa em referência ao acontecimento durante a guerra civil síria.

Citando passagens da Bíblia e a perseguição dos primeiros cristãos, o papa acrescentou que “hoje também há gente assim, que, em nome de Deus, mata e persegue”. Em relação à perseguição, Francisco lembrou que “existem países em que você pode ser preso apenas por levar o Evangelho”. Há poucos dias, o site da Rádio Vaticano publicou as declarações de uma freira, a irmã Raghida, que tinha estado na Síria e denunciou que cristãos estavam sendo crucificados em povoados ocupados por grupos de muçulmanos extremistas.

Em outra ocasião, o Santo Padre também falou sobre os desabrigados em Buenos Aires, Argentina: “parece que a crueldade foi impressa nos nossos corações. Uma crueldade que tem muitas roupagens: ‘o que me importa’, ‘vão trabalhar’, ‘são pessoas que não se inserem na sociedade’… palavras que não justificam mas manifestam tal crueldade”.

Estas são as palavras do Papa Francisco escritas em um email privado a Gustavo Vera, o fundador da ONG “La Alameda”, em Buenos Aires. O motivo do e-mail é o processo de despejo, realizado há três dias pela polícia e guarda civil nacional, da invasão ‘Papa Francisco’ no bairro Lugano, com famílias inteiras que foram removidas à força das suas casas.

A notícia foi dada ontem pela mesma ONG Argentina, muito ligada a Bergoglio, que havia informado diretamente o Papa do despejo forçado. E o Papa confessa ter chorado ao saber que muitas famílias dos seus compatriotas sofrem tal abuso tão humilhante.

“Acabei de ler a sua carta – escreve Francisco ao amigo Gustavo -. A sua última frase resume os meus sentimentos: ‘Parecia Gaza’ e comecei a chorar. Não entendo o motivo. Acaricio com as lágrimas essas pessoas, essas mães com crianças. Quando voltei da Coréia, no avião, falei da crueldade. Parece que a crueldade foi incutida em nossos corações….”.

“Estou ao lado dessas pessoas – disse o Papa – rezo e peço que elas não sejam deixadas sozinhas. E estou perto de vocês, que estão perto delas. Com muita dor no meu coração. Um abraço”.

(fontes do texto: veja.abril.com.br e zenit.org)

Share Button

 

comentário(s)

  1. maria cristina rodrigues ferreira disse:

    Que triste onde o ser humano vai parar com tantas barbaridades.SÓ DEUS mesmo pra ter piedade de Nós.

  2. mariaeunicede fariascavalcante disse:

    que atos dolorosos. Que todos nós possamos orar, orar, para que estes corações de “pedra” se abram a graça de Deus e assim os perseguidos, necessitados, tenham vida digna…
    oremos; Senhor fazei-nos instrumentos de vossa paz… que todos se revistam de Tua paz…

  3. maria jose nunes torterolli disse:

    Que tristeza quanta tecnologia em todos os setores e o ser humano autor de tudo isso desaparecendo, onde vamos chegar com tanta barbaridade, PAI tende piedade de nós Nossa Senhora intercedei pela humanidade.

Deixe uma resposta