Cristoteca: a Igreja próxima dos jovens

domingo, agosto 11, 2013

 

CRISTOTECA: A IGREJA PRÓXIMA DOS JOVENS

Em Aveiro o bispo esteve até de madrugada na Cristoteca

ordem franciscana irmas clarissas www.cantodapaz.com.br Canto da Paz Jesus Cristo Igreja Catolica Papa Francisco cristoteca aveiro

Ideia importada do Brasil pretende aproximar jovens da Igreja Católica.

Mais de duas mil pessoas de todas as idades estiveram até de madrugada deste domingo na Cristoteca, um espaço de animação nocturna assente no conceito de discoteca promovido pela Diocese de Aveiro, que decorreu no jardim da Costa Nova, em Ílhavo.
A iniciativa surgiu no âmbito do programa da Missão Jubilar, que tem como objectivo assinalar os 75 anos da restauração da diocese de Aveiro. O programa arrancou em Outubro passado e termina a 11 de Dezembro.

A festa começou cerca das 19h00 de sábado com a actuação do grupo One Time, a que se seguiu uma sessão de karaoke e, por volta da 01h30, os DJ Peixinho, H2O e Electronic Grooves tomaram conta da pista.

O público, que na sua maioria rondava os 15 anos, dançou até cerca das 04h30 nesta festa que não se diferenciava das comuns noites de discoteca, com DJ, música, luzes, máquina de fumos e até bebidas alcoólicas, algo que não é permitido no Brasil, onde surgiu o conceito da Cristoteca.

“Não temos medo que haja excessos e exageros. Temos um trabalho sedimentado em muita experiência com grupos de jovens”, disse o bispo de Aveiro, António Francisco, afirmando que a Igreja não educa para o medo, nem para a proibição.n O bispo, que apesar de estar quase a comemorar 66 anos manteve-se na festa até de madrugada, admitiu ser habitual ficar acordado até tarde, a trabalhar. “Costumo estar a pôr o correio em dia, a refletir, a ler ou a escrever e a programar o dia seguinte, mas também gosto deste trajeto da noite e deste encontro com as pessoas”, afirmou.


(cristoteca em Fátima, Portugal)

"Tudo é possível ao que crê"

Proporcionar uma “diversão saudável” durante a noite era o objectivo da Cristoteca, um espaço de música e dança que não esquece a oração e a evangelização e que começou a dar os primeiros passos em Portugal em 2009.

“Temos templos onde celebramos diariamente a eucaristia, mas temos de encontrar outros espaços, outros tempos e outra pedagogia de evangelização”, referiu o bispo de Aveiro, defendendo que a Igreja precisa de “estabelecer um diálogo com este mundo real e com a juventude do século XXI”.

Na festa, era notória a ausência de sinais religiosos, com excepção das mensagens em pequenos papéis colados nos copos de plástico para bebidas, como “Felizes os que ouvem a palavra de Deus” ou “Tudo é possível ao que crê”.

“São pequenas provocações que servem para mostrar que o cristão é uma pessoa alegre e que sabe viver a alegria da fé em qualquer ambiente”, disse Catarina Ferrão, uma das responsáveis pelo bar.

Esta jovem, que faz parte do Secretariado da Pastoral Juvenil e Vocacional da diocese de Aveiro, confessa ter ficado surpreendida com a adesão do público à Cristoteca. “No início, achei que não iam aderir tantas pessoas de fora, mas estamos num ambiente de Verão, na praia, em que as pessoas vão à descoberta daquilo que há na noite e a prova disso é que há muitos estrangeiros que estão de férias e que também se juntaram a nós”, referiu.

Entre o público havia pessoas de todas as idades, incluindo alguns idosos que não se intimidaram e saltaram da cadeira para dançar ao lado dos mais novos, aos ritmos da música rock, pop e eletrónica. Crisanta Ribau, de 64 anos, da Gafanha da Encarnação, nunca tinha estado numa discoteca e gostou da experiência. “Estou a gostar muito. Acho muito bem este tipo de iniciativas, porque movimenta muitos jovens e adultos”, disse a sexagenária.

Uma opinião partilhada por Eunice Almeida, uma catequista da Costa Nova que foi à missa no sábado para poder estar na Cristoteca até ao fim: “Acho que a Igreja devia fazer mais coisas deste género”.

Segundo a organização, mais de 40 voluntários participaram na festa, que contou ainda com testemunhos dos jovens da diocese que participaram nas Jornadas Mundiais da Juventude, no Rio de Janeiro, no Brasil.

(fonte do texto: www.publico.pt – autor: MIGUEL MADEIRA)

 

Share Button

 

Deixe uma resposta