Amor Misericordioso – Evangelho Comentado

sábado, março 17, 2012

 


NOTA: Ao final do vídeo o Frei Gilson deseja Feliz Dia dos Pais. Em vários Países da Europa, especialmente onde ele se encontra, o Dia do Pais é comemorado no dia 19 de março, por ser o dia de São José, o chefe da Sagrada Família. No Brasil, esta comemoração, acontece no 2º Domingo de Agosto.

Países que celebram o Dia dos Pais:

Alemanha: 40 dias depois do domingo de Páscoa, no Dia da Ascensão (Christi Himmelsfahrt)
Áustria: segundo domingo de Junho
Austrália: o primeiro domingo em Setembro
Bélgica: dia de São José (19 de Março), e o segundo domingo em Junho ("Secular", sem conotação religiosa)
Brasil: segundo domingo de Agosto
Bulgária: 20 de Junho
Dinamarca: 5 de Junho…

… República Dominicana: último domingo de Junho
Coréia do Sul: 8 de maio
Lituânia: o primeiro domingo de Junho
Nova Zelândia: o primeiro domingo de Setembro
Noruega, Suécia, Finlândia, Estônia: segundo domingo de Novembro
Polônia: 23 de Junho
Portugal, Angola, Espanha, Itália, Cabo Verde, Andorra e Listenstaine: 19 de Março
Rússia: 23 de Fevereiro
Tailândia: 5 de Dezembro, dia do nascimento do rei Bhumibol Adulyadej
Taiwan: 8 de Agosto

EVANGELHO COMENTADO – 4º Domingo da Quaresma

Evangelho: (Jo 3, 14-21) – “Quem pratica a verdade se aproxima da Luz!”

Assim como Moisés levantou a serpente no deserto, do mesmo modo é preciso que o Filho do Homem seja levantado.  Assim, todo aquele que nele acreditar, nele terá a vida eterna.» «Pois Deus amou de tal forma o mundo, que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele acredita não morra, mas tenha a vida eterna. De fato, Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, e sim para que o mundo seja salvo por meio dele. Quem acredita nele, não está condenado; quem não acredita, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho único de Deus. O julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más.  Quem pratica o mal, tem ódio da luz, e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam desmascaradas.  Mas, quem age conforme à verdade, se aproxima da luz, para que suas ações sejam vistas, porque são feitas como Deus quer.»

COMENTÁRIO

Estamos iniciando uma nova semana. Gosto da palavra novo. Novo quer dizer novidade, coisa diferente, mudança… Viver o novo é deixar de lado tudo que é ultrapassado e obsoleto.

Todo início é um desafio e deve ser motivo para meditação. Por isso, viver o novo pode ser descômodo e preocupante. Não ficamos muito a vontade no novo emprego, na nova sala de aula ou na piscina do novo clube. Relutamos em aceitar as mudanças. Quer queira, quer não, bate no peito aquela saudade do tradicional.

Viver de saudade é parar no tempo. Seja um novo mês, um novo ano ou um novo dia; sempre é hora de recomeçar, é a grande chance para iniciar ou aprimorar hoje, aquilo que já deveríamos ter concluído ontem.

Neste evangelho, Jesus também nos fala de algo novo. Ao mencionar o antigo testamento e traçar um comparativo entre a serpente levantada por Moisés, num poste no deserto, Jesus nos apresenta o jeito novo de curar.

Jesus se compara com a serpente de bronze que foi levantada por Moisés. Essa serpente tinha o poder de curar as pessoas, mordidas por cobras no deserto. Quem olhasse para a serpente, ficava curado, não era afetado pelo veneno, tinha sua vida preservada e não morria.

No entanto, a salvação não acontecia automaticamente. Não bastava simplesmente olhar para a serpente de bronze, era preciso olhar com fé e acreditar na misericórdia e no poder divino. Assim também é com Jesus que, por amor, aceitou ser levantado na cruz para nos salvar.

Ao ser erguido na cruz, Jesus nos reconcilia com Deus. Com sua morte e ressurreição nos livra do veneno do pecado e nos dá vida nova. Para Jesus, a cruz tem sentido de Glória. Sua Paixão e morte têm um sabor especial. Ser levantado significa ser exaltado, ser glorificado.

Assim como a serpente, não basta olhar para o Cristo crucificado. É preciso acreditar e divulgar que ali está a Salvação, o Fruto da Nova e Eterna Aliança. Jesus é o novo, é a Grande Novidade do Pai. E, como já dissemos, tudo que é novo exige mudanças.

Mudar é tão difícil quanto seguir os caminhos de Jesus. Para mudar é preciso, primeiramente, renunciar ao tradicional, ao rotineiro e ao saudosismo. É preciso soltar-se das amarras e lutar por um mundo novo. Só assim, renovados, poderemos sair das trevas e caminhar na Luz.

Caminhar na Luz é viver o amor e a verdade. É transformar em realidade e gestos concretos a solidariedade e a fraternidade. O Filho de Deus não veio para condenar, veio para salvar e nos retirar das trevas. Jesus é a Luz que tudo cura.

Caminhar ao Seu lado é bem mais seguro, tudo é claro e não existem tropeços.

(Evangelho Comentado – texto: Jorge Lorente – www.miliciadaimaculada.org.br – jorge.lorente@miliciadaimaculada.org.br  /  Vídeo: Fr. Gilson Frede, capuchinho, partilha com todos a Palavra do IV Domingo da Quaresma no seu blog: http://poco-da-palavra.blogspot.com)

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. José Juarez Batista Leite disse:

    Realmente,Jesus é o sempre novo,o sempre atual.Não importa as mudanças que ocorram nas relações sociais,nas leis.Não importa o progresso das ciências e da tecnologia que levando em consideração a dignidade humana é sempre bem-vindo.Todas as coisas devem ser recapituladas em Cristo para que tenham sentido e não se tornem ultrapassadas e obsoletas.Jesus é o eterno presente através do qual se deve ler o passado e o futuro e em Quem o passado e o futuro devem se encontrar.O próprio presente só tem verdadeiro valor de presente em Cristo Jesus.Quem anda com Cristo e em Cristo deve sempre se sentir atualizado porque a figura deste mundo passa.

Deixe uma resposta