As Bem-Aventuranças – Evangelho Comentado

sábado, janeiro 29, 2011

CONTINUAÇÃO

Esta bem-aventurança não é dirigida para uma determinada classe social. Não é também uma mensagem de resignação e conformismo para aqueles que não fazem parte da alta-sociedade. Com suas palavras, Jesus não quer exaltar a pobreza, não está aprovando a miséria e, muito menos dizendo que todos os pobres são bem-aventurados.

O pobre em espírito não é necessariamente aquele que não tem o que comer, nem aquele que não tem bens ou onde morar. O pobre que Jesus se refere é aquele que está ciente de sua pequenez diante de Deus. Aquele que não é arrogante, ambicioso e auto-suficiente. Esse pobre é humilde, desapegado dos bens terrenos, e tem Deus como seu maior tesouro.

O espírito de pobreza não é exclusividade dos moradores da periferia. Nada impede que more em mansão quem tem espírito de pobreza. Para ser pobre em espírito, não é necessário andar maltrapilho. É preciso sim, recusar-se a viver uma vida farta sozinho, é despojar-se dos excessos, é usar seus bens em favor dos menos favorecidos. Esse “pobre” sabe distribuir, paga salário justo e vive a caridade fraterna.

Jesus também chama de bem-aventurados os aflitos, os que sofrem e os que choram, pois serão consolados. Aqui se encaixam todos os bem-aventurados, pois certamente, Deus irá consolar todos os que choram, os mansos, os pobres, misericordiosos, enfim, Deus irá consolar todos que sofrem por amor.

É muito difícil entender o que significa sofrer por amor, porque amor está relacionado com alegria, amor é sinônimo de felicidade. No entanto, dor e cruz também estão relacionados com amor, pois foi por amor que Jesus se submeteu ao martírio e se deixou crucificar. Dor, resignação e cruz, são palavras que rimam com Jesus, são caminhos que levam à Verdadeira Luz.

Felizes os misericordiosos, os mansos e puros de coração, os que promovem a paz, que têm fome e sede de justiça e que por isso, são perseguidos e injuriados. Em todas essas bem-aventuranças se encaixam os missionários, evangelizadores, catequistas, líderes classistas e, até mesmo, alguns raros homens públicos e políticos que lutam por um mundo melhor e por uma justa distribuição de renda.

Hoje, Jesus dá esperança para aqueles que tiram do lixo o sustento de suas famílias e também chama de bem-aventurados os pais desempregados, as vítimas da globalização, os índios expulsos de suas terras, os favelados, os aposentados, os sem terra e sem teto. Todos serão consolados e receberão uma grande recompensa no céu. O pobre Lázaro é um bom exemplo dessa verdade.

(fonte: www.miliciadaimaculada.org.br  –  autor: Jorge Lorente  /  vídeo: Frei Gilson Frede, capuchinho de Cabo Verde – http://poco-da-palavra.blogspot.com)

 

 

 

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. Custódia da Costa santos disse:

    Gosto muito deste Evangelho, pois nele, Jesus nos dá uma certeza linda para todos os tempos, todas as camadas sociais e todas as idades. Para mim, os pobres, os humildes, os mansos, misericordiosos, são todos aqueles que se deixam libertar por Cristo, que transforma o seu coração á imagem do Mestre e Senhor. Também eu peço a Jesus,que tranforme o meu coração á Sua medida e não á minha. Amen

Deixe uma resposta