41a. Oração de São Francisco de Assis

sexta-feira, outubro 2, 2009

 

oracao paz sao francisco de assis fazei-me instrumento jesus cristo igreja catolica canto da paz

No dia 4 de outubro comemoramos o dia de São Francisco de Assis.

A "Oração pela Paz", atribuída a São Francisco
(escrito por Frei Adelino G. Pilonetto, OFM Cap)

Quem não conhece a oração que principia com as palavras: Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz? E quem não a aprecia também? Conhecida como Oração pela Paz, Oração do Amor, Oração simples ou, ainda, Oração de São Francisco, ela tem um sabor todo ecumênico e expressa conteúdos de tanta sinceridade e beleza que encontra ressonância obrigatória no coração das pessoas…

…"Seus conteúdos correspondem às aspirações íntimas dos melhores cristãos de nosso tempo" (1) . Nós gostamos de rezá-la e, certamente, Francisco aprecia que a rezemos. Entretanto, a mencionada oração não é de São Francisco, é apenas atribuída a ele.

Nem se trata de uma oração tão antiga, embora sejam antigas as suas raízes. Foi certamente atraídos por sua simplicidade, pertinência e beleza que os franciscanos se afeiçoaram a ela e, inadvertidamente, a adotaram como própria. Por razões semelhantes, ela foi atribuída a São Francisco de Assis. Quanto ao modo como isso aconteceu, é o que veremos a seguir, adiantando, porém, que não é grande coisa o que sabemos a respeito desse apócrifo, tão célebre quanto misterioso (2).

1. Como surgiu essa oração

Parece que surgiu pouco antes da Primeira Guerra Mundial. Suas origens são obscuras, seu autor é desconhecido, e parece que poucos lhe deram importância logo ao aparecer. "A Oração da Paz apareceu pela primeira vez em 1913 numa pequena revista local da Normandia, na França. Vinha sem referência de autor, transcrita de uma outra revista tão insignificante, que nem deixou sinal na história, pois não foi encontrada em nenhum arquivo da França" (3).

A Oração pela paz, entretanto, ganhou notoriedade depois que foi publicada no Osservatore Romano, em 20 de janeiro de 1916 e, alguns dias depois, em 28 de janeiro do mesmo ano, no conhecido diário católico francês La Croix. Em 1917, foi divulgada com um título chamativo: "Oração para uso dos que querem colaborar na preparação de um mundo melhor" (4).

Quem a enviou ao Papa Bento XV, juntamente com outras orações pela paz, foi o Marquês de la Rochetulon, fundador do semanário católico Souvenir Normand. Nessa época, em toda parte faziam-se orações instantes pela paz, uma vez que a Europa inteira debatia-se com os fantasmas medonhos da Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Pelos termos de agradecimento que o Cardeal Gasparri enviou, em nome do Papa, ao Marquês de Ia Rochetulon, soube-se que aquelas orações, inclusive a que seria depois atribuída a São Francisco, eram todas dirigidas ao Sagrado Coração de Jesus, uma devoção que vinha se expandindo com muito fervor desde o final do século XIX e com a qual "se pretendia resgatar uma dimensão esquecida no cristianismo tradicional: a riqueza da santa humanidade de Jesus, de seu amor incondicional, de sua misericórdia, de seu enternecimento para com todos, especialmente para com os pobres e os pecadores, as crianças e as mulheres". (5 )

ESTE ARTIGO CONTINUA

Share Button

 

comentário(s)

  1. maria helena das neves disse:

    Frequento a capela São Francisco e Santa Clara em São Vicente no bairro jardim rio branco. Já passei esse site para algumas catequistas e também vou colocar
    no quadro de avisos. Obrigada por tantas informações maravilhosas. Amei conhecer esse site.

  2. pedro hermogenes disse:

    Os artigos referentes a religiosidade sempre são ótimos pois, assim devemos deles tirar proveito e seguir a sua integra, para nos tornar melhor e se concientizar que o mundo fique melhor, e que nossos irmãoszinhos tenham mais felicidade.

    grande abraço!

Deixe uma resposta