“Amarás o próximo como a ti mesmo”! – Evangelho Comentado

sexta-feira, outubro 24, 2008

CONTINUAÇÃO

"COMENTÁRIO

Este evangelho é bem “curtinho”. Tem poucas palavras, mas tem também uma das mais claras e diretas mensagens. Manda viver o amor. É o resumo de tudo que precisamos saber e viver. Fala do amor a Deus e do amor ao próximo.

Jesus diz que amar a Deus de todo coração, de toda alma e de todo entendimento é o primeiro e maior mandamento. Diz também que amar ao próximo como a nós mesmos é semelhante ao primeiro. Com essas palavras Jesus disse que, amar ao próximo é tão importante quanto amar a Deus.

Essas palavras deixam claro que, não existe separação entre o amor a Deus e ao nosso semelhante. Reafirmam a verdade destas outras palavras: “Ninguém pode dizer que ama a Deus, que não vê, se não ama ao irmão que está ao seu lado”.

Foi bom tocar nesse assunto, deve servir para esclarecer algumas dúvidas: afinal de contas, quem é esse irmão? Acho que não é para mim esse recado, pois sou filho único e nem irmão eu tenho! Como posso reconhecer e amar alguém que nem sequer conheço? Onde estará esse desconhecido, onde estarão esses irmãos?

Boa pergunta. Estão aqui, bem pertinho, bem ao nosso lado! Quantas irmãs, quantos irmãos de todas as idades. São velhos, jovens e crianças. Estão por ai aos milhares, abandonados e maltrapilhos. Doentes, sem emprego, sem terra e sem nada. Dependem de mim, dependem de você… precisam de amor.

ESTE ARTIGO CONTINUA

Share Button

 

comentário(s)

  1. Antonio disse:

    Achei o comentário simples e objetivo. Nos dias atuais, percebe-se ainda aquela antiga idéia do humanismo “selvagem”: tudo pelo corpo; tudo pela boa-vida; tudo pela “vida em abundância” da materialidade. Ora, se busco meu próprio bem-estar, se procuro o viés mais retilíneo do prazer, mas abandono o semblante do próximo, estarei provavelmente pecando contra o Segundo Mandamento. Logo, as pessoas que pregam o viver intensa e confortavelmente a vida, olhando-se a si mesmas apenas, parece não terem entendido a mensagem de Jesus, quando recomendou o “negar-se a si mesmos e pegar a cruz”. Terei eu também entendido erroneamente?…

  2. Maria Terezinha Gomes disse:

    Vou contar uma coisa pra vocês, estou com cinquenta e um anos, não faz muito tempo tempo que conheci o Amor, a mãe me ensinava tudo da religião, mas agora que eu estou amando cada vez mais esse Deus Uno e Trino. Amém. Shalom.

  3. irlar . z disse:

    Eu acredito que nossa experiência com Jesus, na maioria das vezes, venha com a dor, o sofrimento, a súplica. Eu agradeço porque no meu caso específico veio aos 31 anos, ainda “jovem”. E como sempre fui meio “científico” não percebia o singelo da “vida”. Amor. A vida se resume a Amor. Penso, que num mundo tão absoluto em meditação transcendental, medicina holística, teosofia, terapias alternativas, cosmos, acabamos por perder um pouco do “time” plural e nos encerramos no uno. Embora o caminho com Jesus não seja dócil (como todos), não tenho mais dúvidas de que: (como ele mesmo disse) “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim, que Sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o Meu jugo é suave e o Meu fardo é leve.” “Aquele que crê em mim nunca estará sozinho.” “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai se não por mim.” “O amor é tudo.”

Deixe uma resposta