30. Como Santa Clara de Assis praticava a santa oração

sexta-feira, outubro 20, 2006
Santa Clara estava tão alheia ao mundo que se ocupava continuamente em santas orações e no louvor divino.

À noite, depois da oração de Completas (última Hora canônica do Ofício Divino), Santa Clara permanecia rezando durante muito tempo junto com suas Irmãs. Dizem que derramava muitas lágrimas e, com sua piedade, levava as outras Irmãs também a chorar. Mesmo depois que todas se recolhiam para dormir em suas duras camas, Clara ficava rezando, vigilante e incansável.

Muitas vezes, com o rosto prostrado ao chão, regava o chão com lágrimas e o acariciava com beijos; parecia ter sempre o seu Jesus entre as suas mãos, derramando aquelas lágrimas aos Seus pés, aos quais beijava.

Certa vez, quando a noite já ia adiantada, apareceu o anjo das trevas na figura de um menino negro, dizendo-lhe: -“Não chore tanto, que você vai ficar cega”. Santa Clara respondeu na mesma hora: – “Quem vai ver Deus não ficará cego”. Confuso, então, o maligno desapareceu. Naquela mesma noite, depois da oração comunitária de Matinas (primeira hora canônica do Ofício Divino), enquanto Clara rezava novamente banhada em lágrimas, o conselheiro enganoso apareceu mais uma vez, dizendo-lhe: – “Não chore tanto. O cérebro vai acabar derretendo e saindo pelo nariz, deixando-o torto”. Ela respondeu rápido: – “Quem serve ao Senhor não sofre nenhum entortamento”. Assim, o inimigo fugiu na mesma hora e desapareceu.

Santa Clara tirava da fornalha da oração fervorosa toda a força espiritual que demonstrava ter. Deste modo, quando voltava toda alegre da santa oração, incendiava o coração de suas Irmãs com o fogo que trazia do altar do Senhor, mediante suas palavras ardentes, que a todos inflamava. Todas as pessoas ficavam admiradas com a doçura que provinha de sua boca e com o seu rosto mais claro e iluminado que de costume.

Chegava na igreja sempre antes de todas as Irmãs, mesmo das mais jovens, acordando-as com sinais silenciosos.

Em geral, acendia as luzes quando as outras dormiam. Muitas vezes era ela quem tocava o sino. Não havia lugar para a preguiça ou para a tibieza em São Damião, onde o Senhor era continuamente louvado e servido.

Share Button

 

comentário(s)

  1. Maria Terezinha Gomes disse:

    Quem tem Deus, não teme o malígno, ele já está derrotado, é só fazer o sinal da cruz, ele foge imediatamente ,pois o malígno é derrota e a cruz é vitória. Amém. Shalom.

  2. Tecla Maria de Santana Coutinho disse:

    Durante muitos anos rezei muito e li muito a Biblia durante a madrugada. Mas agora por motivo de saúde tomo remedios para dormir. Atualmente rezo de madrugada, mas é menos, e sinto falta. Ao ler o artigo sobre Santa Clara, senti a grandeza da santidade dela na sua forma de rezar. Eu também chorava muito, principalmente ao olhar para a foto de Jesus. Obrigada pelas informações a respeito de Santa Clara.

Deixe uma resposta