Pentecostes: Recebei o Espírito Santo

sábado, junho 3, 2017

recebei_espirito_santo_evangelho_

Solenidade de Pentecostes – O Espírito Santo Paráclito – Evangelho: Jo 20, 19-23 – Na tarde do mesmo dia, que era o primeiro da semana, estando trancadas as portas do lugar onde estavam os discípulos, por medo dos judeus, Jesus chegou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos se alegraram ao ver o Senhor. Jesus disse-lhes de novo: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio”. Após essas palavras, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados serão perdoados. A quem não perdoardes os pecados não serão perdoados”.

COMENTÁRIO

A celebração de Pentecostes acontece quando se completam cinqüenta dias da ressurreição de Jesus. O Evangelho relata um fato ocorrido quase dois meses depois que Senhor se foi (50 dias = penta = pentecostes). Os discípulos de Jesus estão trancados no cenáculo, por medo dos judeus.

Apesar do evangelista João não mencionar, conforme Atos dos Apóstolos (At 2,1-11), no cenáculo também estavam algumas mulheres, inclusive Maria a Mãe de Jesus. Outro fato, importantíssimo, que deve ser ressaltado é que eles se encontravam em oração.

João faz questão de dizer que o medo estava presente entre eles. O medo é compreensível, pois não sabiam o que poderia lhes acontecer se fossem descobertos pelos judeus. A única certeza que tinham é que não iriam assumir publicamente que eram cristãos. Isso poderia custar-lhes a vida.

Jesus chega como quem não quer nada, entra sem fazer alarde, coloca-se no meio deles e diz: “A paz esteja com vocês”! Pronto… tudo mudou, o clima agora é de coragem. Os discípulos se alegram ao verem o Senhor.

Jesus trouxe consigo o Espírito Santo e o entregou aos apóstolos. O medo e a insegurança foram jogados pela janela. O temor que paralisava suas pernas, simplesmente desapareceu.

Isso chama-se paz. Paz é liberdade, é coragem, é busca permanente da vida plena. Paz é doação, é luta por justiça e dignidade. Paz, um nome tão pequeno, mas que guarda dentro de si todas as Palavras de Jesus.

Paz é o resumo de tudo. Na palavra paz está contido todo evangelho, por isso Jesus nos deseja a paz. Apesar de não serem sinônimos, é impossível separar a paz do amor. A paz é conseqüência do amor e o amor é incompleto sem a paz.

Jesus entra, deseja-lhes a paz e faz algumas recomendações. Manda que eles continuem a sua missão. Já pensou? Aquela mesma missão que levou Jesus à morte. Mas, como enfrentar aquela multidão que eliminou Jesus?

O medo era enorme, mas ao receberem o Espírito Santo transformam-se totalmente. Abrem as portas, escancaram as janelas, nada temem, nada os assusta. Publicamente falam com destemor e sabedoria.

Assim é a obra do Espírito Santo. Ela faz maravilhas nos seguidores de Jesus. Opera transformações radicais naqueles que se entregam aos seus cuidados. Age em nossa vida e em nosso dia-a-dia. O Espírito nos transforma em membros vivos do Corpo de Cristo, se faz presente na Igreja, através dos seus sete dons.

A festa de Pentecostes nos leva a concluir que o Espírito Santo dá vida e dinamismo à comunidade cristã. Sob a ação do Espírito todos falam a mesma língua, os irmãos se entendem e se unem em torno do mesmo Pai. A covardia é substituída pela coragem na pregação do evangelho, a tristeza dá lugar à alegria, e as atividades são alicerçadas no amor e na paz de Jesus.

(fonte do texto: www.miliciadaimaculada.org.br  –  autor: Jorge Lorente  /  vídeo: TVFranciscanos)

Folheto da Missa – Solenidade de Pentecostes

Solenidade de Pentecostes

Share Button

 

Deixe uma resposta