Bento XVI renuncia ao Papado

segunda-feira, fevereiro 11, 2013

 

BENTO XVI RENUNCIA AO PAPADO

Bento XVI renuncia ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro
A Sede de São Pedro ficará vacante a partir de 28 de Fevereiro. Será convocado o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Cidade do Vaticano, 11 de Fevereiro de 2013 (Zenit.org)

Apresentamos as palavras com que Bento XVI anunciou a sua renuncia:

"Caríssimos Irmãos,

convoquei-vos para este Consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20,00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.


Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus.

Vaticano, 10 de Fevereiro de 2013.

BENEDICTUS PP. XVI"

……………………………..

COMENTÁRIOS

Alemanha
A Alemanha expressa seu “respeito” e sua “gratidão” ao Papa. “Como um cristão e um católico, não posso deixar de me comover e ser tocado por isso", afirmou o porta-voz do governo Steffen Seibert em entrevista coletiva. “O governo da Alemanha tem o maior respeito pelo santo padre, pelo que fez, e por sua contribuição ao curso de sua vida na Igreja Católica. Ele tem sido a cabeça da Igreja Católica pelos últimos oito anos. Deixou uma assinatura pessoal como um pensador e chefe da igreja, e também como pastor. Quaisquer que sejam suas razões, devem ser respeitadas”, afirmou.

Irmão do Papa
"A idade oprime", afirmou o irmão do Papa Bento XVI, Georg Ratzinger de Regensburg, ao sul da Alemanha. Ele disse que sabia de antemão sobre a renúncia e a qualificou de "processo natural".

Vaticano
“Nos pegou de surpresa”, afirmou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. Segundo Lombardi, o Papa renuncia em total "conformidade" com a igreja, mas continua até 28 de fevereiro com "bateria total". Segundo ele, o papa tomou sua decisão com "grande coragem e determinação", "consciente dos problemas que a igreja enfrenta atualmente".

Aparecida
O bispo auxiliar da Arquidiocese de Aparecida e ex-reitor do Santuário Nacional, monsenhor Darci Nicioli, de 53 anos, afirmou que a decisão "dói no coração". Segundo ele, brasileiros têm chance de assumir o papado.

Israel
O chefe rabino de Israel Yona Metzger afirmou, segundo seu porta-voz, que “durante seu período [como papa] houve a melhor relação possível entre a igreja e o rabinato e nós esperamos que essa tendência continue”. Metzger ainda desejou “boa saúde e longos dias” ao Papa, conforme o porta-voz

França
O presidente francês, François Hollande, afirmou que considera a decisão do Papa "respeitável". “Não me cabe fazer comentários sobre essa decisão que pertence à igreja. Não tenho que dizer se está correto. É uma decisão que reflete uma vontade que tem que ser respeitada”, afirmou a jornalistas em Pierrefitte-sur-Seine

Salvador
"Foi para mim uma surpresa imensa porque no dia 9 de janeiro estive com ele", afirmou Dom Murilo Krieger, arcebispo de Salvador e primaz do Brasil. "Me aparentava a idade que tem, mas parecia bem disposto, ele perguntou sobre Salvador. Para ter chegado a essa decisão, ele deve ter pensado muito, avaliado muito, rezado muito. Fez isso, certamente, sentindo que as forças que ele tem já não são suficientes para exercer a missão que ele exerce. É uma atitude baseada e fundamentada na honestidade."

Itália
O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, afirmou que está "muito alterado por conta desta notícia inesperada". "Soube desta notícia há um minuto", disse aos jornalistas durante um congresso em Milão.

(fonte do texto: www.zenit.org / fonte dos comentários: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/02/veja-repercussao-do-anuncio-de-renuncia-do-papa-bento-xvi.html)

 

 

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. luiz s.bustamante mendes disse:

    Caríssimos, Paz e Bem!
    Aproveitando todas as notícias que nos chegam, quero pedir a vcs com toda a autoridade de filho de Deus, que rezem, rezem, rezem.Aproveitemos este tempo de recolhimento, de jejum, de oração e nos aproximemos ainda mais do Pai para vencermos com fé e convicção as obras de Deus, mesmo que não as entendemos no momento. Tenhamos perseverança, fé, fé, muita fé!
    Que a paz que São Francisco nos ensinou esteja com todos!

Deixe uma resposta