Libertação e Serviço – Evangelho Comentado

sexta-feira, Fevereiro 3, 2012

 

EVANGELHO COMENTADO – 5° Domingo do Tempo Comum

Evangelho: Mc 1, 29-39 – Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. 30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. 31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los. 32À tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo mal. 33A cidade inteira se reuniu em frente da casa. 34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças… E não deixava que o mal falasse, pois sabiam quem ele era…

… 35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. 36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. 37Quando o encontraram, disseram: “Todos estão te procurando”. 38Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”. 39E andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas…

COMENTÁRIO

O evangelho de hoje é a continuação e conclusão de um "dia típico" da atividade libertadora de Jesus (Mc 1,21-34). É uma amostra daquilo que o Mestre faz constantemente. Assim Marcos vai mostrando "quem é Jesus". Além disso, é preciso ter presente que esse "dia típico" é um sábado, dia sagrado que se tornou estéril, porque incapaz de libertar e comunicar vida aos que sofrem.

Veremos:

a. da sinagoga à casa – vv. 29-31 = libertação e serviço
b. em frente da casa – vv. 32-34 = uma multidão de necessitados
c. da casa ao deserto e à Galileia inteira – vv. 35-39 = Jesus vence a tentação
a. da sinagoga à casa – vv. 29-31 = libertação e serviço

Jesus se desloca da sinagoga à casa de Simão e André (v.29) com os quatro discípulos que escolhera (vv. 16-20). É a primeira vez, no evangelho de Marcos, que aparece a menção à casa. Aqui ela se opõe à sinagoga. Ao longo do evangelho, Jesus vai se sentir muito bem em casa, ao passo que a sinagoga irá suscitar conflitos, culminando na decretação da morte de Jesus por parte dos fariseus e alguns do partido de Herodes (3,6).

A sogra de Simão está de cama, com febre (v.30a). Para o povo da Bíblia, a febre tinha origem no mal, algo que imobilizava as pessoas, deixando-as inativas. Marcos mostra Jesus pegando a mão da mulher, ajudando-a a se levantar (v.31a). Com isso o evangelista nos estimula a progredir na compreensão de "quem é Jesus": aquele que ajuda as pessoas a caminhar com as próprias pernas e ser sujeitos do próprio agir. De fato, logo em seguida, "a febre desapareceu, e ela começou a servi-los" (v.31b). Jesus liberta e as pessoas, como resposta, se põem a serviço do libertador.

O modo como Jesus age é simples e, ao mesmo tempo, profundo: ele liberta tocando, pegando pela mão, ajudando a pessoa a se libertar. Notemos mais um detalhe: se a primeira pessoa a ser beneficiada pela ação libertadora de Jesus é um homem, a segunda é uma mulher, sinal de que Jesus não discrimina.

Jesus ajudou a sogra de Simão a se levantar. No texto grego, este verbo recorda o rito do Batismo. Quem lê o evangelho com os olhos da fé descobre imediatamente o sentido do Batismo em si e sua função na sociedade: é um levantar-se para pôr-se a serviço do projeto de Deus….

(fonte do texto: http://www.celebrando.org.br/wp-content/uploads/2012/01/5dom_comum_ano_b.pdf – vídeo: TV Franciscanos – Comentário de Frei Alvaci Mendes da Luz, OFM)

 

  ACOMPANHE TAMBÉM O EVANGELHO DIARIAMENTE NA TVFRANCISCANOS

http://www.youtube.com/tvfranciscanos

Share Button

 

Deixe uma resposta