Quem ama o seu filho… – Evangelho Comentado

sábado, junho 25, 2011

 

EVANGELHO COMENTADO – 13º Domingo do Tempo Comum

"Disse Jesus: ‘Quem ama seu pai ou sua mãe mais que a mim, não é digno de mim. Quem ama seu filho mais que a mim, não é digno de mim. Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim. Aquele que tentar salvar a sua vida, perdê-la-á. Aquele que a perder, por minha causa, reencontrá-la-á. Quem vos recebe, a mim recebe. E quem me recebe, recebe aquele que me enviou. Aquele que recebe um profeta, na qualidade de profeta, receberá uma recompensa de profeta…

…Aquele que recebe um justo, na qualidade de justo, receberá uma recompensa de justo. Todo aquele que der ainda que seja somente um copo de água fresca a um destes pequeninos, porque é meu discípulo, em verdade eu vos digo: não perderá sua recompensa’." – Evangelho: (Mt 10, 37-42)

Jesus nos fala das exigências necessárias para quem quer segui-lo. São palavras duras, mas Jesus não veio para destruir os laços de família. Veio para dar aos laços familiares um novo sentido, tendo em vista a missão.

Com suas palavras, Jesus quer dizer que, embora amando nossos familiares com todo afeto, a missão está acima desse amor. E, se houver conflito entre a família e a missão, é a missão que deve prevalecer.

O amor de Jesus é exigente. Requer liberdade plena, porque só na liberdade existe amor. O amor de Jesus não é uma doutrina, é uma missão que dá sentido à vida. Jesus exige total desapego, até mesmo dos afetos mais íntimos e mais naturais, tais como o amor pelos pais e pelos filhos.  

Seguir a Jesus supõe intimidade e comunhão com ele. Significa carregar a cruz, isto é, os sofrimentos próprios de quem se dispõe a trabalhar na construção do Reino.

Carregar a cruz não deve ser interpretado como uma renúncia ou como morte, mas sim como vida. Carregar a cruz é uma oblação, é a oferta que agrada a Deus e nos realiza plenamente.

A missão do discípulo é levar a paz. Portanto, não pode levar a divisão nas famílias. Ao relatar essas palavras de Jesus, Mateus está se dirigindo às comunidades de seu tempo, que estão vivendo momentos difíceis.

Porém, convém lembrar que pouco mudou de lá, para cá. Ainda hoje vivemos momentos parecidos. As barreiras são enormes, principalmente com a disseminação da teologia da prosperidade. Na procura de facilidades, poucos procuram a verdadeira felicidade.

Mateus dirige estas palavras para aquele membro da família que se converte ao cristianismo e tem que enfrentar a oposição dos familiares não convertidos. É exatamente aqui que se aplicam as palavras de Jesus, que exige amor maior para com ele. Quem abraça a fé tem que estar disposto a renunciar até a própria vida.

“Quem não toma sua cruz e não me segue, não é digno de mim”. A cruz é o símbolo de todos os sofrimentos que recaíram sobre Jesus. A cruz faz parte do dia-a-dia de todos aqueles que se propõem apresentar Jesus. A cruz é uma decorrência da missão, porque a missão prega a verdade que é Deus.

Em compensação, neste evangelho encontramos promessas extraordinárias: Tudo o que for feito aos enviados de Cristo é como se fosse feito ao próprio Cristo. “Quem vos recebe, a mim recebe. Quem der, ainda que seja apenas um copo de água fresca, a um desses pequeninos por ser meu discípulo, em verdade vos digo: não perderá a sua recompensa”.

Essa recomendação para viver a partilha e o amor, não é dirigida somente para assistentes sociais, sacerdotes ou religiosos. Independente da idade, isso vale para as crianças, idosos, pobres marginalizados e doentes. Acolher a todos, sem distinção são exigências do amor cristão.

(fonte do texto: www.miliciadaimaculada.org.br  –  autor: Jorge Lorente)

  ACOMPANHE TAMBÉM O EVANGELHO DE 2ªF. A 6ªF., NA TVFRANCISCANOS

http://www.youtube.com/tvfranciscanos

Share Button

 

comentário(s)

  1. Waldecy disse:

    Muito bem explicitado o evangelho deste domingo,nos mostra o quanto temos que deixar aquilo que temos como valor, ideias, sair de nós mesmos, para um verdadeiro seguimento a Jesus Cristo, não importando o que a gente representa ou tem na sociedade, cargos, títulos, etc.

  2. José Juarez Batista Leite disse:

    Palavras muito bem colocadas.Sem perder de vista o sentido evangélico traz para o nosso tempo e o contexto cultural em que vivemos uma mensagem viva e atual.Isso é Igreja que sabe se inculturar na realidade humana sem escamotear.

  3. euridinea duarte de lima disse:

    Sendo hoje dia de São Pedro,estava procurando recordar e saber mais sobre sua vida.Encontrei esse site tão rico em conteúdo que salvei para ser lido sempre. Sou de uma igreja franciscana. Parabéns e PAZ E BEM. Niterói-RJ

  4. Porque não nos desapegar das coisas em favor do Reino? Deus amou tanto o mundo que enviou seu único filho pra nos salvar.Amém.Shalom.

Deixe uma resposta