Construir sobre a rocha – Evangelho Comentado

domingo, março 6, 2011

 

CONSTRUIR SOBRE A ROCHA

EVANGELHO COMENTADO – 9° Domingo do Tempo Comum

Evangelho: (Mt 7, 21-27) – Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus mas quem fizer a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome, não expulsamos demônios em teu nome, não fizemos muitos milagres em teu nome?’  Então lhes declararei: Nunca vos conheci.a Afastai-vos de mim, vós que praticais o mal. Portanto, todo aquele que ouve estas minhas palavras, e as põe em prática, será como um homem prudente que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enxurradas, sopraram os ventos e deram contra a casa, mas ela não desabou. Estava fundada na rocha. Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será como um homem tolo que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enxurradas, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela desabou. E grande foi sua ruína”.

O evangelho de hoje nos leva a refletir sobre nosso comportamento como batizados. É uma chamada de atenção para todos os discípulos de Jesus. Quem não apresentar obras, não será reconhecido no céu. 

Jesus fala com firmeza e com toda clareza que muitos vão imaginar, e até afirmar, que viveram em comunhão com Ele, só pelo fato de invocar seu nome dia e noite, no entanto, eram apenas ouvintes de suas Palavras.

Não basta dizer Senhor, Senhor! Jesus chama de insensato quem não se sensibiliza com as angústias alheias, com o bem estar do próximo, e que não põe em prática os ensinamentos do Pai.

Para entender melhor, vamos imaginar que nossos pais e irmãos moram distantes e que há muito tempo não os vemos. Apesar de rezarmos por eles, nunca enviamos ajuda financeira para os alimentos e remédios. Ficamos distantes e raramente escrevemos uma cartinha.

Já que estamos exercitando a imaginação, imagine agora que, de um momento para o outro, perdemos o emprego e somos despejados por falta de pagamento do aluguel. Para não precisar morar debaixo do viaduto decidimos procurar nossos pais e irmãos, para voltar a morar definitivamente com eles.

Imagine agora o tamanho da frustração se depois da longa viagem, arrastando bagagem e malas, ao lá chegarmos, eles perguntarem quem somos e não nos deixarem entrar dizendo que não têm acomodações, pois a casa está lotada. Quer constrangimento maior?

“Somos seus filhos! – vamos dizer – Como não têm espaço? Quem são esses estranhos que ocupam todas as dependências da casa?” – Perguntaremos.

“Esses são para nós mais do que filhos – dirão – São eles que dividem conosco seus alimentos, seus dons e virtudes e, diante da menor indisposição, estão sempre dispostos para nos preparar um chazinho”.

Tomara que tudo o que dissemos seja somente fruto de nossa  imaginação e que isso nunca venha a ocorrer. Seria triste demais viver toda uma vida e, ao final, ter que admitir que vivemos de maneira errada, sem por em prática os ensinamentos de Jesus.

Certamente isso jamais acontecerá para nenhum cristão. Afinal o cristão que é cristão de verdade, jamais deixa de preocupar-se com seus irmãos. O verdadeiro cristão conhece muito bem esse evangelho e sabe também o que Jesus espera de seus discípulos.

As Palavras de Jesus devem levar-nos a rever nossa vida pessoal e comunitária. Fazer a vontade do Pai não se resume em marcar presença nas missas dominicais ou em generosidades esporádicas.

Jesus afirma que o que vale diante de Deus não são as obras extraordinárias, nem os milagres feitos em seu nome, mas sim o cumprimento constante e fiel da sua vontade. A vontade de Deus é ver seus filhos vivendo suas palavras. Viver o evangelho significa construir o futuro sobre uma rocha.

Viver o Evangelho é garantia de um futuro feliz. Jesus deixou-nos a certeza de que coisas maravilhosas estão reservadas para aquele que, por amor, saciar a fome do indigente, que vestir o maltrapilho, visitar o encarcerado, o idoso, o doente…

Espalhe esta boa notícia e que Deus o abençoe bem aventurado(a) promotor(a) da paz!!!

(fonte do texto: www.miliciadaimaculada.org.br  –  autor: Jorge Lorente  /  vídeo: Frei Gilson Frede, capuchinho de Cabo Verde – http://poco-da-palavra.blogspot.com)

 

 

 

Share Button

 

Deixe uma resposta