O Matrimônio Católico

quinta-feira, julho 8, 2010

 

O MATRIMÔNIO CATÓLICO

(Padre Fabio de Melo fala que casamento não é mágica)

TEXTO SOBRE O SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO
(este texto é retirado do Catecismo da Igreja Católica – Compêndio)

"O pacto matrimonial, entre os batizados, pelo qual o homem e a mulher constituem entre si a comunhão íntima de toda a vida, ordenada por sua índole natural ao bem dos cônjuges e à procriação e educação da prole, foi elevada por Cristo, como Senhor, à dignidade de sacramento". (CIC, cân. 1055)

 

Qual é o desígnio de Deus acerca do homem e da mulher?

Deus, que é amor e criou o homem por amor, chamou-o a amar. Criando o homem e a mulher, chamou-os, no Matrimônio, a uma íntima comunhão de vida e de amor entre eles, "de modo que já não são dois, mas uma só carne" (Mt 19,6). Abençoando-os, Deus disse-lhes: "sede fecundos e multiplicai-vos" (Gn 1,28).

 

Para que fins instituiu Deus o Matrimônio?

A união matrimonial do homem e da mulher, fundada e dotada de leis próprias pelo Criador, está por sua natureza ordenada à comunhão e ao bem dos cônjuges e à geração e bem dos filhos. Segundo o desígnio originário de Deus, a união matrimonial é indissolúvel, como afirma Jesus Cristo: "O que Deus uniu não o separe o homem" (Mc 10,9).

 

Como é que o pecado ameaça o Matrimônio?

Por causa do primeiro pecado, que provocou também a ruptura da comunhão do homem e da mulher, dada pelo Criador, a união matrimonial é muitas vezes ameaçada pela discórdia e pela infidelidade. Todavia Deus, na sua infinita misericórdia, dá ao homem e à mulher a sua graça para que possam realizar a união das suas vidas segundo o desígnio originário de Deus.

 

O que é que o Antigo Testamento ensina sobre o Matrimônio?

Deus, sobretudo através da pedagogia da Lei e dos profetas, ajuda o seu povo a amadurecer progressivamente a consciência da unicidade e da indissolubilidade do Matrimônio. A aliança nupcial de Deus com Israel prepara e prefigura a Aliança nova realizada pelo Filho de Deus com a sua esposa, a Igreja.

 

Qual a novidade dada por Cristo ao Matrimônio?

Jesus Cristo não só restabelece a ordem inicial querida por Deus, mas dá a graça para viver o Matrimônio na nova dignidade de sacramento, que é o sinal do seu amor esponsal pela Igreja: "Vós maridos amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja" (Ef 5,25).

 

O Matrimônio é uma obrigação para todos?

O Matrimônio não é uma obrigação para todos. Deus chama alguns homens e mulheres a seguir o Senhor Jesus na vida da virgindade ou do celibato pelo Reino dos céus, renunciando ao grande bem do Matrimônio para se preocuparem com as coisas do Senhor e para procurar agradar-Lhe, tornando-se assim sinal do absoluto primado do amor de Cristo e da ardente esperança da sua vinda gloriosa.

 

Como se celebra o sacramento do Matrimônio?

Uma vez que o Matrimônio coloca os cônjuges num estado público de vida na Igreja, a sua celebração litúrgica é pública, na presença do sacerdote (ou da testemunha qualificada da Igreja) e das outras testemunhas.

 

O que é o consentimento matrimonial?

O consentimento matrimonial é a vontade, expressa por um homem e por uma mulher, de se entregarem mutua e definitivamente, com o fim de viver uma aliança de amor fiel e fecundo. Dado que o consentimento faz o Matrimônio, ele é indispensável e insubstituível. Para que o Matrimônio seja válido, o consentimento deve ter como objeto o verdadeiro Matrimônio e ser um ato humano, consciente e livre, não determinado pela violência ou por coação.

 

Que se requer quando um dos esposos não é católico?

Para serem lícitos, os matrimônios mistos (entre católico e batizado não católico) requerem a permissão da autoridade eclesiástica. Aqueles com disparidade de culto (entre católico e não batizado) para serem válidos precisam duma dispensa. Em todo o caso, é essencial que os cônjuges não excluam a aceitação dos fins e das propriedades essenciais do Matrimônio e que o cônjuge católico confirme o empenho, conhecido também do outro cônjuge, de conservar a fé e de assegurar o Batismo e a educação católica dos filhos.

 

Quais são os efeitos do sacramento do Matrimônio?

O sacramento do Matrimônio gera entre os cônjuges um vínculo perpétuo e exclusivo. O próprio Deus sela o consentimento dos esposos. Portanto o Matrimônio concluído e consumado (com a união física) entre batizados não pode ser nunca dissolvido. Este sacramento confere também aos esposos a graça necessária para alcançar a santidade na vida conjugal e para o acolhimento responsável dos filhos e a sua educação.

 

Quais são os pecados gravemente contrários ao sacramento do Matrimônio?

São: o adultério; a poligamia, porque em contradição com a igual dignidade do homem e da mulher e com a unicidade e exclusividade do amor conjugal; a rejeição da fecundidade, que priva a vida conjugal do dom dos filhos; e o divórcio, que se opõe à indissolubilidade.

 

Quando é que a Igreja admite a separação física dos esposos?

A Igreja admite a separação física dos esposos quando, por motivos graves, a sua coabitação se tornou praticamente impossível, embora se deseje uma sua reconciliação. Mas eles, enquanto vive o cônjuge, não estão livres para contrair uma nova união, a menos que o Matrimônio seja nulo e como tal seja declarado pela autoridade eclesiástica. Para esta declaração existe o Tribunal Eclesiástico (da Igreja).

 

Qual é a atitude da Igreja para com os divorciados recasados?

Fiel ao Senhor, a Igreja não pode reconhecer como Matrimônio a união dos divorciados recasados civilmente. "Quem repudia a própria mulher e casa com outra comete adultério contra ela; se a mulher repudia o marido e casa com outro, comete adultério" (Mc 10, 11-12). Para com eles, a Igreja desenvolve uma atenta solicitude de acolhimento, convidando-os a uma vida de fé, à oração, às obras de caridade e à educação cristã dos filhos. No entanto, o casal não pode receber a absolvição sacramental, enquanto perdurar a união não abençoada pela Igreja, nem receber a comunhão eucarística, nem exercer certas responsabilidades eclesiais enquanto perdurar esta situação, que objetivamente contrasta com a lei de Deus.

 

Porque é que a família cristã é chamada Igreja doméstica?

Porque a família manifesta e realiza a natureza de comunhão e familiar da Igreja como família de Deus. Cada membro, a seu modo, exerce o sacerdócio batismal, contribuindo para fazer da família uma comunidade de graça e de oração, escola das virtudes humanas e cristãs, lugar do primeiro anúncio da fé aos filhos.

 

(O texto foi adaptado para o Português do Brasil – fonte: http://www.paroquia-caldasdarainha.pt – Paróquia de Nossa Senhora do Pópulo – Caldas da Rainha – este texto é retirado do Catecismo da Igreja Católica – Compêndio)

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. Airam Cerqueira Dayubbe disse:

    Maravilhoso este artigo,seria bom q todos tivessem acesso ao CIC (Catecismo da Igreja Católica) e conhecessem mais o q Jesus na palavra ,nos convida a viver.
    E que casar não é brincar de casinha e depois qdo não quiser mais, cada um vai pro seu lugar.
    O que Deus uniu,o homem não separe!

  2. luziane disse:

    sou casada a 32 anos,,,tenho tres filhos, fui criada em colegio interno e formacao catolica,casei na igreja do meu proprio colegio aos 18 anos, mais reconheco que näo estava preparada e conscientemente apta a casar, hoje tenho que pedir muito Deus para que só Ele é capaz de segurar e conservar meu casamento, meus tres filhos säo afsataos de Deus devido ao meu pecado, meu esposo cometeu adulterio e se diz näo catolico, só com a forca da oracao é que meu casamento ainda está de pé, achei interessante, e o que nos faz ter consciencia do que fazemos é a maturidade, creio muito nisso, é a muturidade, que nos faz entender e compreender melhor, mesmo assim sou feliz, mesmo nas tribulacoes sou muito feliz, pois sei que Deus existe e nos ampara, desejo a paz para todos voces, que Deus lhes abencoe.

  3. Maria José disse:

    O matrimônio é um sacramento e como tal contém a força para os cônjujes viverem na graça de Deus e educarem seus filhos para uma vida cristã tão difícil nos dias de hoje.
    Que tristeza quando um deles resolve ir embora…
    Os filhos são os mais prejudicados perdendo referencias até do Pai Eterno que é Amor…
    As consequencias são terriveis!!! Está aí o mundo de hoje sem valores de referencia para se viver…

  4. ruygan disse:

    O MATRIMONIO É UM SACRAMENTO ABENÇOADO POR DEUS,
    POR ISSO O QUE DEUS UNIU,NÃO SEPARE O HOMEM.
    DEUS NO DEU A NOSSA METADE ( HOMEM E MULHER)
    (CADA UM COM A SUA ASA ) SÓ JUNTANDO OS DOIS SEREMOS COMO ANJOS. COM 2 ASAS, PARA PARA PODERMOS VOAR JUNTOS DE MÃO DADA,, RUMO Á ETERNIDADE.E A FELICIDADE
    PAZ E BEM
    PEREGRINO DO AMOR

  5. Ricardo disse:

    Queridos, Paz do Senhor.

    Notei neste artigo que citam o matrimônio como um sacramento.

    Como estudante de teologia, pude constatar que na Bíblia Sagrada constam apenas 2 sacramentos a saber: Batismo e Santa Ceia (eu disse Santa Ceia)Ou seja, duas condições fundamentais para alcançar a salvação proposta por Jesus Cristo. “Ide por toda a terra e pregai o evangelho e todo aquele que nele crer e for batizado será salvo”. A palavra não fala sobre “ide… for batizado (confessando com sua própria boca), com primeira comunhão, crismado, casado e por ai afora!!!

    Me diga, à Luz da Bíblia onde estão os outros sacramentos, inclusive sobre o purgatório (esta é uma curiosidade bem antiga) e confesso que na Palavra Inspirada pelo Espírito Santo (a Bíblia) não achei nada parecido.

    Agradeço sua atenção, desde já pedindo perdão ao amado irmão se por acaso estou contrariando as Escrituras Sagradas.

    Fiquem na Paz do Senhor

    Ricardo

  6. Anônimo disse:

    artigo pra la de maravilhoso. Parabens

  7. neusa disse:

    Sim, confirmo este artigo pois está de acordo com a Santa Madre Igreja que sempre caminhou e caminha fiel à Luz da Palavra de Deus.Fico feliz por expor artigos assim que possibilita tantas pessoas poder ler e entender melhor a palavra de Deus através de explicações simples mas sem perder a essencia.Parabéns!!!

  8. Marcilio Mota do Amaral disse:

    como seria bom se todos podessem ter acesso a artigos como estes e como iria enrriquecer e clarear a vida de tantos. parabens pela iniciativa.

  9. VITÓRIA DANTAS. disse:

    SOU CASADA HÁ 16 ANOS,DEFENDO O MATRIMÔNIO, ESSA GRANDE BENÇÃ DE DEUS QUE NOS AMA TANTO A PONTO DE NOS DAR O SEU PRÓPRIO FILHO, QUE AO MORRER NA CRUZ POR TODOS NÓS ,REAFIRMA MIAS UMA VEZ A ALINÇA DE DEUS COM TODO O SEU POVO. O MATRIMÔNIO TMABÉM É UMA ALIANÇA, FIRMADA SOBRE CRIATURAS HUMANAS, FRUTOS DA CRIAÇÃO, QUE AOS OLHOS DE DEUS SÃO ABENÇOADOS PRA VIVEREM O GRANDE SACRAMENTO DO AMOR.

  10. VITÓRIA DANTAS. disse:

    COMO O PRÓPRIO ARTIGO SE REFERE, O MATRIMÔNIO NÃO É UMA BRINCADEIRA DE CRIANÇA, E SIM UMA BENÇA DIVINA. É ATRAVÉS DA PRESENÇA E DA AÇÃO DE CRISTO QUE O AMOR HUMANO, RECEBENDO COMO QUE UMA INJEÇÃO DO AMOR DIVINO, É TRANSFORMADO EM AMOR CONJUGAL, QUE POR SUA VEZ É A FONTE DE ESPIRITUALIDADE CONJUGAL.AO ASSUMIR O MATRIMÔNIO, O MAMOR VERDADIRO ASSUME ENTÃO UMA ESTRUTURA INTERPESSOAL, CONVERTE-SE EM UMA COMUNHÃO DE PESSOAS, O AMOR NÃO SERÁ TANTO AMOR DE UM PELO OUTRO, MAS É AMOR QUE EXISTE ENTRE DOIS, NÃO SÃO DOIS AMORES, É UM ÚNICO AMOR, O AMOR CONJUGAL.

  11. Infelizmente,o sacramento do matrimônio,hoje em dia é uma coisa ultrapassada,querem só luxo,se não der certo,o divórcio é garantido.Shalom.

  12. Myrna disse:

    Estou casada a quatro meses e já passei pela experiencia da infidelidade o que quase acabou comigo e com meu casamento, lendo este artigo me fortaleci e vou tentar recuperar meu casamento e meu marido.

  13. Waldecy disse:

    Casamento não é mágica como disse o pe Fábio, porém não é tão díficil como parece. Basta sabermos que a partir do momento em que me casei, já não sou um só, ou seja somos dois, então, o segredo para manter o casamento, é abrir mão, inclusive dos desejos pessoal e também rezar sempre juntos.

  14. castelo joao disse:

    Sou casado a 3 anos por isso considero o sacramento de matrimonio aquele que jesus institiu no homem.No entanto tudo que o Deus uniu não pode ser separado.Foi o jesus que disse homem e mulher abandonarão os seus pais serem só uma carne e uma só pessoa.Beijinhos para todos os casados e aqueles que estão na formação dos noivos.Amem

  15. Francimara Cabral Campos disse:

    gostei muito do artigo estava precisando fazer essa leitura. pois tenho um projeto de levar orientações aos casais que estejam enfrentando dificuldades no casamento.e esse artigo estara somando no meu trabalho como evangelizadora.estão de parabéns.

Deixe uma resposta