Joguem as redes para pescar! – Evangelho Comentado

quinta-feira, fevereiro 4, 2010

 

EVANGELHO DO 5º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO C

EVANGELHO COMENTADO

"Certo dia, Jesus estava na praia do lago de Genesaré, e a multidão o apertava para ouvir a palavra de Deus. Ele viu dois barcos no lago, perto da praia

jesus cristo pescas pescadores peixes barcos redes evangelho comentado igreja catolica canto da paz praia mar lago

Os pescadores tinham saído deles e estavam lavando as redes. Jesus entrou num dos barcos, que era o de Simão, e pediu que ele o afastasse um pouco da praia. Então sentou-se e começou a ensinar a multidão. Quando acabou de falar, disse a Simão: _ Leve o barco para onde o lago é mais fundo. E você e seus companheiros joguem as redes para pescar. Simão respondeu: _ Mestre, nós trabalhamos a noite toda e não pescamos nada. Mas já que o Senhor nos manda jogar as redes, vou obedecer. Quando jogaram as redes na água, pescaram tanto peixe que as redes estavam quase se rebentando. Então fizeram sinal para os companheiros que estavam no outro barco, para irem ajudá-los. Eles foram e encheram os dois barcos com tanto peixe que quase se afundaram. Quando Simão Pedro viu o que havia acontecido, ajoelhou-se diante de Jesus, e disse: _ Afaste-se de mim, Senhor, porque sou pecador! Simão e os outros que estavam com ele ficaram admirados com a quantidade de peixes que haviam apanhado. Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão, também ficaram muito admirados. Então Jesus disse a Simão: _ Não tenha medo. De agora em diante você vai ser pescador de gente. Eles arrastaram os barcos para a praia, deixaram tudo, e seguiram a Jesus." (Lucas 5,1-11)

COMENTÁRIO:

A fama de Jesus havia se espalhado em toda a redondeza de Nazaré e, naquele momento, Ele estava falando a uma multidão sedenta de ensinamentos, no lago de Genesaré, conhecido também como Mar da Galiléia. Pela primeira vez sua pregação é chamada Palavra de Deus, fonte de vida e ministério da Igreja, anunciada em um ambiente simples e humano como convém ao próprio Deus feito Homem.

A multidão comprimia-se à Sua volta de tal forma que lhe faltava espaço para pregar. Jesus, então, subiu em uma barca que era de Pedro e mandou que a afastassem um pouco da margem para poder falar à multidão que queria ouvi-Lo. A água reflete e espalha a Sua voz fazendo-a chegar até a multidão. É importante notar que o mar era, para o povo de Israel, um símbolo das nações pagãs, ou seja, Jesus estava ali ensinando a todos, judeus e pagãos!

Terminada a pregação, Jesus pede a Simão Pedro para preparar os remos e navegar mar adentro. Aquela não tinha sido uma boa noite para os pescadores, mas Pedro que já conhecia Jesus e O tinha acompanhado em algumas de suas viagens, diante da ordem resolve fazer o que Ele pediu, apesar do cansaço. Ele conhece o poder de Jesus que tinha curado a sua sogra e tem fé, e junto de outros pescadores, tomou as redes nas mãos, confiou e obedeceu. Ao entrar no mar, para lançar mais uma vez as redes, Simão não sabia o que aconteceria. A confiança em Jesus nas coisas do dia-a-dia prepara o cristão para assumir a vocação do desconhecido. Numa hora inadequada para pescaria eles conseguiram pescar tantos peixes que precisaram chamar outra barca que era de João e Tiago, filhos de Zebedeu,  amigos de Pedro, para ajudá-los, e as duas barcas ficaram cheias de peixes, sua docilidade e confiança foram recompensadas.

Havia nesta pesca uma simbologia que é o resultado do ensinamento de Jesus. Pedro diz que entraria no mar em obediência à Palavra de Jesus, ou seja, é a Palavra do Evangelho, luz do dia, que faz com que haja sucesso naquilo que se propõem a fazer.

Diante da grande quantidade de peixes recolhidos, Jesus vê uma pesca diferente. Pedro, neste momento reconhece Jesus como ‘Senhor’, e humildemente cai aos seus pés, e é com esta humildade que ele segue a Jesus. Seu susto é resultado de uma experiência de Deus que une alegria com medo, o mesmo acontecendo com os outros dois, que se sentiram atraídos a seguir Jesus, como um compromisso depois de aceitar ao chamado.

Cada um daqueles discípulos seria um “novo pescador” que traria pessoas para o Reino de Deus. Eles já eram pescadores e Jesus não queria que fizessem algo diferente do que já faziam, mas sim, de modo diferente. Então deixaram tudo para fazer algo maior, dar nova direção à vida, colocando-se a serviço do Senhor.

(fonte: http://www.pequeninosdosenhor.com.br)

 

 

 

 

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. Maria José- Valinhos SP disse:

    Estou sempre buscando na internet coisas que me fazem crescer na fé, sites católicos,e achei voces e estou ,sempre que posso, passando por aqui para ler alguma coisa e sempre encontro algo bom, então , só me resta agradecer a Deus sempre por esta oportunidade e que voces continuem ,pela luz do Espirito Santo a
    acrescentar luz no caminho de quem busca, pela internet,um maior conhecimento de Deus e seus Santos e Santos Anjos. Obrigada! e rezem por mim.

  2. Regina ap castro disse:

    o artigo e maravilhoso nos ajuda a preparar melho nossa atuação enquanto cristãos e tambem para nossos filhos eu ajudo a trasmitir os cursos do natal e da semana santa nas comunidades rurais e muito vai me ajudar,que o Mestre abençoe a todos, obrigado senhor por todas oportunidades que tem preparado em nossas vidas.

  3. Moacir Viana Alves disse:

    Muito bom o texto, imagem, e o Evangelho narrado, onde noe é apresentado a mensagem de Deus pelos olhos, ouvidos e coração, enrriquecedor, Deus os abençoe!!!!!!

Deixe uma resposta