Bendita és tu entre as mulheres! – Evangelho Comentado

sexta-feira, dezembro 18, 2009

 

(Dom António Couto – Bispo Auxiliar da Diocese de Braga, Portugal)

4º Domingo do Advento

VISITAÇÃO (VISITA DE NOSSA SENHORA À SANTA ISABEL)

Evangelho Comentado – Evangelho de Lc 1,39-45

Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho para a região montanhosa, dirigindo-se apressadamente a uma cidade de Judá. Entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite? Pois quando a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria em meu ventre. Feliz aquela que creu, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido!”.

visita nossa senhora santa isabel visitacao igreja catolica canto da paz

COMENTÁRIO

Duas mães que, cada uma a seu modo, cantam um hino à vida.

A primeira cena é dominada por Isabel e pelas suas palavras; dois eventos causam e explicam essas palavras. O primeiro, aparentemente comum, é a chegada de Maria à casa de Zacarias, com a consequente saudação dirigida à sua prima Isabel. A saudação dá origem ao segundo evento, o salto do menino de Isabel, que parece reconhecer a voz de Maria e, mais ainda, para se relacionar com aquele que Ela traz em seu seio.

O encontro das duas mães é a ocasião para o encontro dos dois filhos que trazem no seio, João e Jesus. Há uma percepção que se reflete num pulo de alegria. As duas mães são “arcas santas”, “ostensórios sagrados” de dois seres destinados um a esboçar o caminho, outro a ser Ele mesmo o caminho. A cena, embora dominada pelas duas mães, tem o seu fundamento na percepção que João tem de Jesus e no implícito reconhecimento da sua grandeza.

Efetivamente, as palavras de Isabel documentam que a densidade teológica atravessa os “concebidos” mais do que as mães: “Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto de teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite?” (versículos 42-43).

Através da expressão “entre as mulheres”, Maria é celebrada por causa da sua função ou carisma (ser “mãe do Senhor”) e pela sua decisão incondicional para essa vocação. A Ela são reservadas uma bênção (“você é bendita”) e uma bem-aventurança (“bem-aventurada”).

A bênção é um dom que tem relação com a vida; podemos dizer que a riqueza fundamental da bênção é a da vida e da fecundidade: isso vale tanto para a terra, quanto para as pessoas (cf. Dt 28,1-14). Vemos bem isso em nosso trecho, onde a bênção para o filho é colocada junto com a bênção para Maria: “e é bendito o fruto do teu ventre”. Maria é celebrada exatamente por causa de sua maternidade. Assim, a bênção provém de Deus e a Ele retorna agora sob forma de invocação e de oração; é reconhecer aquilo que Ele fez.

A bem-aventurança do v. 45, a primeira no evangelho de Lucas, certifica a adesão de Maria à vontade divina. Portanto, Ela não é somente destinatária privilegiada de um secreto desígnio que a faz bendita, mas também pessoa responsável que aceita e adere. Maria não é uma criatura que sabe, mas uma criatura que crê, pois se aferrou a uma palavra nua, que Ela revestiu de amor.

(origem: www.miliciadaimaculada.org.br  –  fonte: Do livro Homilias (Temas de pregação dos padres dominicanos) Falar com Deus – meditações para cada dia do ano (Francisco Fernández Carvajal))

  PARA SABER MUITO MAIS SOBRE O ADVENTO, CLIQUE AQUI

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. Irmã Ednice Socorro disse:

    Querida Kátia, quero agradecer a Deus pelo seu lindo trabalho através deste site franciscano. Também eu sou franciscana. Fiquei conhecendo por meio de outra irmã e agora aproveito sempre as reflexões do evangelho para meu trabalho pastoral. Obrigada e Feliz Natal para você.

  2. José Geraldo Mendes de Souza disse:

    Kátia,ler ou ouvir a palavra de Deus é sempre uma fator motivador para nossa caminhada.
    A palavra nos revigora, nos da ánimo, por isso, parabéns e continue sempre e com Deus!

  3. Adalberto Franco da Cunha disse:

    Gostaria de receber novos artigos

Deixe uma resposta