Quem tiver duas túnicas, reparta-as… – Evangelho Comentado

sexta-feira, dezembro 11, 2009

CONTINUAÇÃO

Ele anuncia uma mensagem que quer atingir a todos indistintamente, superando as antigas barreiras e divisões, não somente entre o povo eleito e outras nações, mas também no meio dos próprios judeus.

A salvação é dom de Deus, portanto, expressão de gratuidade do seu amor que, enquanto tal, não tem pistas preferenciais. Todos são potenciais destinatários desse dom e o serão efetivamente na medida em que se abrirem na disponibilidade da própria vida. João Batista visa essa abertura, convidando e solicitando a todos. Os sinais de renovação vertem exclusivamente sobre o amor ao próximo: o povo deve aprender a partilhar, os publicanos a praticarem a justiça, os soldados a tratarem com humanidade.

Não são exigidos milagres nem atitudes excepcionais para gozar do dom da salvação; apenas o correto exercício da própria profissão. É como dizer que as pessoas se santificam fazendo bem aquilo que devem fazer. Todas as profissões honestas têm uma dignidade que deve ser honrada com o próprio compromisso, cada um deve viver bem a própria vocação.

João fala com vigor do Messias, sua tarefa é apenas preparatória, preparar “um povo bem disposto” (Lc 1,17). Ele prepara o caminho para aquele que vem depois dele, o Messias. Este goza de uma dignidade que não tem comparação, expressa negativamente através da distinção entre os dois, e positivamente através do conteúdo da missão de Jesus. A distância enorme que separa João do Messias é mostrada antes de tudo com a imagem de desamarrar o cadarço das sandálias, tarefa reservada comumente ao escravo. Em seguida, o substancial aparece nos versículos seguintes, tomando como exemplo a ação do camponês que utilizava no terreiro uma espécie de pá para separar o trigo da palha. João apresenta Jesus como “o julgamento de Deus”, aquele que separa e que determina. Em termos mais simples: Jesus é o elemento discriminador e decisivo; aquele com o qual é preciso se comprometer se se quiser alcançar a salvação; recusar Jesus equivale a recusar a salvação.

(origem do Evangelho Comentado: www.miliciadaimaculada.org.br  –  fonte: Do livro Homilias (Temas de pregação dos padres dominicanos) Falar com Deus – meditações para cada dia do ano (Francisco Fernández Carvajal))

   CLIQUE AQUI PARA ENTENDER MELHOR AS CORES USADAS NA LITURGIA

  PARA SABER MUITO MAIS SOBRE O ADVENTO, CLIQUE AQUI

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. Carlos Wagner disse:

    Eu sempre faço uma leitura de seus artigos antes da celebração do domingo. Realmente é maravilhoso, ajuda muito, completa a reunião que as quinta feiras eu e um grupo da liturgia fazemos.
    obrigado.

  2. Luciana Amaral Coutinho Leal Andrade disse:

    São ótimos. Eu os utilizo para preparar as celebrações do meu ministério da eucaristia e tem me ajudado muito. Já passei o site para vários amigos. Está sendo uma bênção.

  3. juan evangelista corrales galeano disse:

    katia eu juan te desejo um natal cheio de Jesus en todas tuas atividades en frente de esta responsabidades de estar sempre mandando para nos leigos o jesus ressucitados esua Mãe Maria eu estou felis de todas as mensajen que chegou ate mi me evangelisou muitos por que mas conheço a jesus PARA BEM K QUE DIOS Y LA VIRGEN DE CAACUPE SEMPRE TE PROTEJAS A VOS E TUAS FAMILIAS

Deixe uma resposta