A conversão de São Paulo, apóstolo

sexta-feira, janeiro 23, 2009

A CONVERSÃO DE SÃO PAULO, APÓSTOLO

conversao sao paulo apostolo evangelho pregador ano paulino prisao

(quadro – autor: Ben Long)

Unicamente pelo fato de estarmos no Ano Paulino, ou seja, ano dedicado às comemorações dos 2.000 anos do nascimento de São Paulo, iremos comemorar a Festa da sua conversão neste domingo.  Lembramos a todos que liturgicamente o domingo sempre tem preferência sobre a festa de qualquer santo.  Em outras palavras, nunca iremos participar da Missa em comemoração a algum santo durante os domingos.  A não ser que seja o Padroeiro de um País, Cidade ou de uma Paróquia.  Assim, neste ano jubilar, vamos celebrar esta exceção.

Passemos à leitura do Evangelho Comentado:

Evangelho: (Mc 16, 15-18)

Jesus se manifestou aos onze discípulos e disse-lhes: “Ide por todo o mundo e anunciai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”.

COMENTÁRIO

Neste evangelho que precede a sua Ascensão, através de suas últimas palavras, Jesus transfere aos seus Apóstolos a sua própria missão salvadora. A missão de serem eles as testemunhas da sua morte redentora, de sua gloriosa ressurreição e serem, acima de tudo, anunciadores da boa nova a todos os povos.

Jesus deixa claro que o amor e o dom de Deus não são para alguns poucos escolhidos e privilegiados ou para um único povo ou nação. Ele manda sair a campo e anunciar que a misericórdia de Deus é oferecida para toda humanidade.

O emprego da expressão judaica: “a toda criatura”, quer sublinhar a dimensão individual, ou seja, é sempre necessária a decisão religiosa de cada pessoa. Esta decisão religiosa pessoal compreende o engajamento de fé, decisivo para a salvação ou a condenação.

O batismo deve ser entendido como uma alternativa positiva para a salvação. A Tradição cristã é unânime em destacar a relação deste sacramento com a morte e Ressurreição de Jesus donde lhe advém sua força vivificante.

“Ide antes às ovelhas que se perderam da casa de Israel” (Mt 15,24). É a missão que Jesus considera como sendo sua, durante o ministério de sua vida terrestre. No entanto, para aquele povo, para aquele grupinho que acredita que terá prioridade, é bom que se diga que a salvação não é exclusividade de raça ou cor.

“Quem crer em mim e for batizado em minha igreja, será salvo! Quem não aceitar a minha religião, será condenado!” Quantas vezes já ouvimos esta afirmação. Cuidado, pois, tem muitos aproveitadores fazendo uso deste evangelho para confundir os menos avisados.

Estão apresentando um Jesus mercenário e vingativo que exclui todo aquele que não pertence a uma determinada religião. A pregação de Jesus foi, durante toda sua vida pública, acompanhada por sinais e maravilhas que estão reservadas aos que acreditarem. Acreditar significa aceitar e viver a Palavra de Deus. Não acreditar significa negar-se a viver a solidariedade, a partilha e o amor.

Por tudo isso, é bom lembrar que não podemos comprar um lugarzinho no paraíso. O lugarzinho no Reino de Deus é conseqüência do empenho de cada um. É o prêmio reservado para o cristão comprometido com a evangelização.

Neste dia em que celebramos a Conversão de São Paulo, façamos juntos o propósito de seguir seus passos e assumir o nosso compromisso batismal de levar a todos os povos a Boa Nova do Reino de Deus.

Veja que boa notícia: O Reino de paz, de justiça e de amor está aberto para todos, independentemente de credo, classe social raça ou cor. Aberto para todos os filhos de Deus.

(fonte: www.miliciadaimaculada.org.br  –  autor: Jorge Lorente)

  CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS DO ANO PAULINO

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. Raimundo Mata disse:

    Gostaria de receber os comentários para aprofundar mais a reflexão dominical

  2. Wilson Meira disse:

    Caros irmãos e irmãs,

    Hoje, com tantas conturbacões no mundo, de toda ordem que possamos imaginar, no Território ou na Terra Santa ocorre o paradoxo, pois, o que prevalece, é Guerra dos fortes contra os fracos. Saulo, o Cobrador de Impostos, convertido, como ele mudou,pois, temos o Paulo que edificou a Igreja,foi Anunciador do Evangelho, Conselheiro das Comunidades, ora presente,ora pelas Cartas, ou seja, Paulo se transformou no Verdadeiro Apostolo de Jesus Cristo, sempre anunciando a Boa Nova. O que temos de fazer? Seguir o exemplo de Paulo, como discipulos e discipulas para levar a Boa Nova para todos e todas, como expressa no artigo, para Jesus, não se escolhe o rico ou pobre, branco ou negro, o que vive no luxo e que vive no lixo, para Jesus, não faz diferenca do ponto de vista da Humanidade, mas, Jesus não se alegra com as injusticas sociais, porque quer Vida, e, em Abundância .Outro aspecto do artigo, que me chama atencão , são pequenos grupos, são seitas agindo em uma relacão mercadoria e cliente, ou seja, tem crencas que não fiéis, mas, sim clientes, porque só o dinheiro é Salvacão, todo cuidado é pouco com os FALSOS PROFETAS, que se expande de forma gigantesca, em todos os cantos do mundo. Mas, o importante para nós é seguir nossa MISSÃO, É CELEBRAR A FESTA PAULINA, E SEGUIR TODOS SEUS EXEMPLOS,AÍ MUDAREMOS ESTA REALIDADE QUE NOS DEIXA TRISTE, MAS, AO MESMO TEMPO FORTALECE NOSSA FÉ, como Missionários e Missionárias NA GRANDE CAMINHADA.

  3. Muitas pessoas tem que cair do cavalo como São Paulo, nesse mundo tem muita arrogância, as pessoas tem que aprender a humildade, a tolerância. Amém. Shalom.

  4. wison disse:

    gostei muito do artigo,ainda mais porque ele está falando de um dos mais fervorosos defensores de Jesus.

  5. Alzira vilela Leite disse:

    Gostaria de receber os comentários para aprofundar mais a reflexão dominical

Deixe uma resposta