42i. O amor de São Francisco pela água, pedras, árvores e flores

terça-feira, outubro 21, 2008

O AMOR DE SÃO FRANCISCO PELA ÁGUA, PEDRAS, ÁRVORES E FLORES

O especial amor que teve pela água e as  pe­dras e pelas árvores e flores.

1 Depois do fogo, amava particularmente a água, na qual temos uma figuara da santa penitência e da tribulação, pelas quais se lavam as sujeiras da alma e porque é pela água do batismo que a alma começa a ser lavada. 2 Por isso, quando lavava as mãos, escolhia um lugar em que a água que caía no chão não fosse calcada pelos pés. 3 Até quando tinha que caminhar sobre as pedras, andava com grande temor e reverência, por amor daquele que é chamado de pedra. Por isso, quando recitava o salmo: Sobre a pedra me elevaste (Sl 60,3), dizia com grande respeito e devoção: “Sob os pés da pedra me exaltastes”.

4 Também ao irmão que cortava e preparava a lenha para o fogo, recomendava que nunca derrubasse toda a árvore, mas que cortasse essas árvores de forma a sempre deixar íntegra alguma parte dela, por amor daquele que quis realizar a nossa salvação no lenho da cruz.

5 Igualmente recomendava ao frade que trabalhava na horta que não cultivasse toda a terra somente com ervas comestíveis, 6 mas deixasse livre alguma parte de terra, para que produzisse er­vas verdejantes que, a seu tempo, produzissem flores aos irmãos, por amor daquele que é chamado de flor dos campos e lírio dos vales (cf. Ct 2,1).

7 E até dizia que o frade hortelão devia fazer sempre um belo canteiro em alguma parte da horta, pondo e plantando ali todas as ervas odoríferas e todas as ervas que produzem belas flores, 8 para que, a seu tempo, convidassem a louvar a Deus todos aqueles que vissem essas ervas e essas flores. 9 Pois toda criatura diz e clama: “Deus me fez para ti, ó homem”.

10 Por isso, nós que vivemos com (cf. 2Pd 1,18) ele vimos que ele se alegrava tanto interior e exteriormente com quase todas as criaturas que, tocando-as ou vendo-as, que seu espírito parecia não estar na terra, mas no céu. 11 E, por causa das muitas conso­lações que teve e tinha nas criaturas, pouco antes de sua morte, compôs e fez alguns Louvores do Senhor por suas criatu­ras, 12 para estimular ao louvor de Deus os corações dos ouvintes e para que o próprio Deus fosse louvado pelos homens nas suas criaturas.

(Espelho da Perfeição – capítulo 118 – tradução de Fr. José Carlos C. Pedroso, ofmcap – fonte: www.procasp.org.br).

Share Button

 

comentário(s)

  1. Cicero Ronnes disse:

    Graça e Paz! Que alegria todas as vezes que busco estar mais perto da espiritualidade franciscana, entro na internet acesso o gloogle e busco por franciscanos, são inúmeros contos e informações que adquiro, pra mim que já fui um vocacionado
    franciscano, que eu ainda acredito que sou e que um dia viverei fielmente este chamado, é muito satisfatório quando encontro este e outros sites que realimenta e me animam cada vez mais na minha vocação através da vida franciscana já que eu sou um apaixonado por estes santos São Francisco e Santa Clara. Que Deus abençoe a todos os que optaram e irão optar pela vida franciscana. Que a paz de Jesus os envolva.

  2. MANOEL LOPES disse:

    Estou muuito feliz por todos os artigos que voçê escreve,sou vice-Ministro da OFS local aqui de União dos Palmares- Al e sempre repasso para os meus irmãos o que voçê escreve para todos nós!… Paz e Bem! e desde já um feliz e abençoado Natal e ano novo!

  3. Monterio Conde disse:

    Parabens pelo teu blog que está maravilhoso. Me perco nestas leituras e imagens, além de S.Francisco, S.Clara e S.Bernardo serem os meus Santos de eleição. Que Deus te abençoe sempre.

  4. MARIA TEREZINHA GOMES disse:

    Minha querida,muito obrigada por esse site,é maravilhoso! Como eu aprendo,como é gratificante saber as coisas do alto,que Deus a abençoe muito,que Santa Terezinha esteja sempre ao seu lado. Amém. Shalom.

  5. Maria Terezinha Gomes disse:

    Temos que falar que nem São Pedro: “Senhor, não me lave só os pés, lave o corpo inteiro, todos nós somos pecadores. Shalom.

Deixe uma resposta