Ano Paulino: “A Missão na Macedônia”

quarta-feira, agosto 13, 2008

O livro dos Atos dos Apóstolos e as cartas de São Paulo destacam duas cidades da Macedônia evangelizadas por Paulo e seus companheiros, Filipos e Tessalônica. Eram ligadas pela estrada chamada Via Egnatia, o que facilitava as viagens. Filipos foi fundada em 350 antes de Cristo, pelo rei Filipe da Macedônia, pai de Alexandre Magno, e Tessalônica em 315, pelo general Cassandro, cunhado de Alexandre Magno, que deu à cidade o nome de sua esposa, Tessalônica, meia irmã de Alexandre. Essas regiões foram palco de muitos acontecimentos. Sabemos da importância de Alexandre Magno, que ainda jovem e, em pouco tempo, conquistou meio mundo, e a influência sobre o povo de Israel da cultura grega levada por ele às terras conquistadas.

Figura de destaque na Macedônia foi Aristóteles. Nasceu em Estagira em 384 antes de Cristo e seu pai, que era médico, serviu na corte do rei Amintas, avô de Alexandre Magno. Em 343, Aristóteles foi chamado por Felipe para ser preceptor do jovem Alexandre. Foi na planície de Filipos que, no ano 42 a.C., Marco Antônio e Otaviano derrotaram o exército de Bruto e Cássio, os assassinos de Júlio César.

Em honra desta vitória, Otaviano fez de Filipos uma colônia romana e nela assentou os veteranos da guerra. Tessalônica, por sua vez se tornou capital da província da Macedônia em 168 a.C. Paulo passa por várias cidades, mas não pára em todas. O Apóstolo devia ter um olhar estratégico escolhendo lugares que possibilitassem a difusão do Evangelho. Detinha-se nas cidades, não no campo, e procurava logo entrar em contato com a sinagoga do lugar, quando existia.

Filipos não tinha sinagoga, Tessalônica, sim. Depois das amarguras experimentadas em Filipos, os discípulos missionários não desistem e seguem para Tessalônica. Lá, novas dificuldades os esperam, mas a evangelização será um sucesso. A palavra é anunciada na força do Espírito e acolhida na força do mesmo Espírito. Paulo anuncia aos judeus que, segundo as Escrituras, o Messias devia sofrer e ressuscitar, e este Messias é Jesus, que ele anuncia.

Os Atos narram rapidamente os acontecimentos de Tessalônica, mas a reação contra os discípulos foi grande, tanto que se alastrou até Beréia, a cidade para onde Paulo e seus companheiros de missão se dirigiram saindo de Tessalônica. Mais uma vez são acusados de perturbar a ordem, de serem revolucionários e agirem contra os decretos do imperador. Os Atos falam de uma reação judaica.

A primeira carta aos Tessalonicenses dá a entender que os originários do lugar moveram uma perseguição contra os cristãos nascentes. A reação deve ter vindo tanto dos judeus como dos gregos. A realidade é que os cristãos, provenientes das camadas pobres da sociedade, mas agora organizados em comunidade, tornaram-se uma ameaça aos poderosos do lugar. Os pobres quando se juntam e tomam consciência da sua dignidade tornam-se uma ameaça porque se ajudam e já não se deixam explorar. Parece, segundo alguns comentaristas, que os comerciantes de Tessalônica se sentiram prejudicados com o surgimento de comunidades solidárias, fortemente fraternas e unidas na mesma fé. Paulo saiu de Tessalônica, mas saiu preocupado. Foi para Beréia e de lá para Atenas. Silas e Timóteo ou vão com Paulo ou vão um pouco depois. Paulo, porém, cheio de preocupação e muito angustiado com o que poderia estar acontecendo com os novos cristãos, pede a Timóteo que volte a Tessalônica e verifique a situação, ajude os fiéis e traga logo notícias. Enquanto aguardava, Paulo ficou em Atenas. A distância entre Atenas e Tessalônica é de 500 quilômetros. Ida e volta, mil. É possível que Paulo tenha permanecido dois meses em Atenas. Aqui não houve um verdadeiro trabalho evangelizador.

Não se tem conhecimento de uma comunidade estabelecida nem referências de Paulo a Atenas. Os Atos falam do discurso no areópago e da conversão de alguma pessoas, entre as quais Dionísio, o areopagita e uma mulher de nome Dâmaris.

(fonte: www.arquidiocesedesaopaulo.org.br)

 

Share Button

 

comentário(s)

  1. São Paulo foi muito perseguido ao levar a BOA NOVA,sejamos como ele,não vamos desistir jamais!Amém.Shalom.

  2. joao freitas disse:

    Este texto de São Paulo em Tessalônica me ajudou a saber mais do corajoso apóstolo dos pagãos. É muito importante para os católicos conhecerem este grande apóstolo, para que possam seguir o seu exemplo como um soldado invencível. Durante o ano paulino sempre li as cartas de São Paulo e reflecti sobre a sua vida. Ele é minha admiracao e exemplo para todos nós os católicos. Se todos os católicos fossem como São Paulo, o Reino de Deus há de ser vivo no mundo. Obrigado para Canto da Paz e por este ario. Grande abraço de amizade do vosso amigo. João.

Deixe uma resposta