Ano Paulino: as cartas de São Paulo

quarta-feira, julho 23, 2008

CONTINUAÇÃO

Mas não é fácil pôr em prática esse plano quando se trata de aplicá-lo a realidades diferentes daquelas que Jesus de Nazaré viveu. O próprio Paulo não conheceu pessoalmente Jesus. O que ele fez foi a experiência do Cristo ressuscitado. Portanto, ao anunciar o Evangelho aos pagãos, foi preciso adaptá-lo à mentalidade dos ouvintes, respondendo às preocupações que eles tinham, conservando o que era essencial e deixando de lado o que não era importante.

Pelo fato de não ter vivido com Jesus como os demais apóstolos, ele enfrentou sérias dificuldades. Alguns afirmavam: "Ele não é apóstolo, pois não viu o Senhor." Paulo se defende, contando sua experiência com Cristo (Gl 1,12; 2Cor 12,1-4). Outros diziam: "Só quem andou com Jesus de Nazaré é que pode fundar comunidades." A essa crítica ele responde, por exemplo, em 1Cor 9,2-3. Outros, ainda, afirmavam: «Ele realmente não é apóstolo. Pois, se fosse, teria a coragem de viver à custa da comunidade. Ele não é livre.» Paulo responde que, para ele, anunciar o Evangelho é uma obrigação (1Cor 9,15-17). Ele cumpre uma ordem. Por isso, não tem direito de ser sustentado por outros. Ele considerava muito perigoso unir pregação do Evangelho com dinheiro. Por isso, preferia ganhar o pão com o suor do rosto, e anunciar o Evangelho gratuitamente (cf. Fl 4,15-17), apesar de Jesus ter dito que o operário é digno do seu sustento (Mt 10,10).

Além disso, ele teve que lutar contra os falsos missionários (cf. 2Cor 10-12), que anunciavam um evangelho fácil, que fugiam da humilhação e da tribulação. Paulo não tem em mãos o Evangelho escrito. Ele o traz impresso na sua carne, marcada por toda sorte de sofrimento (1Cor 11,21-29), a ponto de estar crucificado com Cristo (Gl 2,19), trazendo em seu corpo as marcas da paixão de Jesus (2Cor 4,10; Gl 6,17), e completando, no seu corpo, o que falta das tribulações de Cristo (Cl 1,24). Assim ele pode dizer que já não é ele que vive, mas é Cristo que vive nele (Gl 2,20). É assim que ele anuncia o Evangelho.

As Cartas

Paulo foi quem criou a comunicação escrita para o Novo Testamento e foi aquele que mais escreveu. Suas Cartas são anteriores aos textos dos Evangelhos. Quais os motivos que o levaram a escrever? Sem dúvida, suas Cartas são pastorais. Procuram iluminar, com o Evangelho, os problemas enfrentados pelas comunidades cristãs. Ele não inventa teorias, mas tenta, a partir das dificuldades, mostrar o que significa ser cristão, naquele momento e naquele lugar determinado. Por isso é que certas soluções por ele apresentadas devem ser entendidas à luz dos problemas e da realidade que tal comunidade viveu (cf. 1Cor 11,2-16).

ESTE ARTIGO CONTINUA

Share Button

 

comentário(s)

  1. Custódia Santos disse:

    Gostei muito do artigo; uma verdadeira catequese, para quem não está inserido nos estudos Bíblicos, e não só! creio que a quase todos os cristãos leigos, que querem levar a Bíblia a sério, há sempre pormenores a ter em conta para compreender cada texto no seu contexto original, e adaptação aos tempos de hoje; a cada realidade comunitária e pessoal.

  2. Vani Azevedo de Almeida disse:

    Muito bom este artigo,já li as cartas de paulo,mas
    agora tenho um outro motivo para reler novamente cfe.indicação deste artigo.Vamos começar nos dias 1º,2º e 3º de Setembro/08 estudo das cartas de Paulo em nossa Paroquia, visto que nosso Papa instituiu apartir de junho até julho/09 o ano paulino.Parabens pelo site, que o Espirito Santo
    ilumine sempre vocês para que possam trazer sempre novidades para nos leigos.Abraços.

  3. Maria Terezinha Gomes disse:

    Toda pessoa que se converte é perseguida, mas como Ele falava, quem quiser estrar no céu, tem que ter perseguição, sofrimento. Amém. Shalom.

  4. Aldeane disse:

    Foi tudo que estava procurando, uma verdadeira catequese, aberta a todos. Que seja divulgado e que todos possam conhecer e evangelizar. Que Deus o abençoe a todos…

  5. cleusa disse:

    Nossa! Gostei muito! S. Paulo é o padroeiro da comunidade que participo. Sou ministra de Eucaristia,…inclusive queria idéias sobre alguma coisa para fazermos neste ano paulino…

  6. MARIA DAS GRAÇAS disse:

    ESTE ARTIGO SOBRE PAULO E MARAVILHOSO, ESTAMOS APROFUNDANDO NESTE ANO PAULINO SOBRE A VIDA DESTE HOMEN DE DEUS, MUITAS COISAS PASSAMOS A CONHECER SOBRE ELE DEVIDO ARTIGOS COMO ESTE E PARA NÓS CRISTÃOS É MUITO BOM, POIS PRECISAMOS BUSCAR A SANTIDADE ATRAVES DE NOSSA HISTÓRIA, ATRAVES DOS HOMENS QUE FIZERAM ACONTECER ESTA HISTÓRIA. AMO MUITO MINHA IGREJA, SEI QUE PAULO FOI FUNDAMENTAL PARA QUE NOSSA IGREJA. BEIJOS!!!

  7. João Elison disse:

    Quero deixar aqui os meus agradecimentos aos desenvolvedores deste site, pq estive procurando alguns artigos sobre as cartas paulinas na internet e pela graça de DEUS encontrei este site, parabens por todo o conteúdo presente neste site, achei maravilhoso não só este artigo, mas tudo o que eu li aqui.
    fiquem com DEUS e continuem sempre assim.
    Parabens mais una vez.

  8. Maria das Graças da Silva disse:

    Gostei muito da explicação sobre a órdem das cartas de São Paulo. Na nossa Igreja de Santo Expedito, em Campo Grande – RJ, estamos preparando um estudo sobre as cartas de São Paulo.
    A Paz de Jesus e o amor de Maria a todos !

  9. Júlio César disse:

    Muito bom!
    Assim, como Paulo nós continuamos a Missão. É Cristo que nos envia, ele nos orienta. Paulo é o grande Apóstolo de Cristo, pois ele fez um encontro com o Senhor, e nós também podemos faze-lo. Assim, como Paulo quem encontra Jesus tem paz e alegria nesta e na outra vida.

Deixe uma resposta