Mais um santo brasileiro: Albertina Berkenbrock!

sexta-feira, outubro 12, 2007

Albertina Berkenbrock: “que o jovem não tenha medo de ser santo”

(leia sobre a vida da Beata Albertina logo abaixo dos vídeos).


CLIQUE NO BOTÃO QUE POSSUI UMA SETA PARA DAR INÍCIO AO FILME.

Se a sua conexão é lenta, clique no botão para dar início e logo em seguida clique no que possui duas barras e aguarde a barra de progressão carregar totalmente; só então clique novamente no botão com a seta para ver o filme.
………………………………………………

No dia 20 de outubro, a diocese de Tubarão (Santa Catarina, sul do Brasil), viverá um momento histórico: a beatificação de Albertina Berkenbrock, em cerimônia presidida pelo cardeal Saraiva Martins, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, às 16:00h.

Albertina nasceu a 11 de abril de 1919, na comunidade de São Luís. Foi batizada no dia 25 de maio de 1919, crismou-se a 9 de março de 1925 e fez a primeira comunhão no dia 16 de agosto de 1928.

Foi no ambiente simples, belo e cristão de sua família que Albertina cresceu. Ela ajudava os pais nos trabalhos da roça e em casa. Confessava-se com freqüência, ia regularmente à missa, comungava com fervor. Preparou-se com muita diligência para a primeira comunhão. Falava muitas vezes da Eucaristia e dizia que o dia de sua primeira comunhão fora o mais belo de sua vida.

Martirizada aos 12 anos de idade ao lutar para preservar sua pureza e virgindade, a bem-aventurada Albertina será modelo para os jovens de que não se pode ter medo de ser santo.

É o que explicou em entrevista a zenit, Dom Jacinto Bergmann, bispo da diocese de Tubarão:

– Como estão os preparativos para a beatificação?

Dom Jacinto Bergmann: Nós estamos na reta final dessa preparação para a beatificação. Nós fizemos de todo 2007 o ano da beatificação, para dar esse caráter de preparação não só imediata, mas no longo prazo. 2007 foi então o ano da beatificação da Albertina. Ao longo desse período, nós fizemos todo um trabalho evangelizador em torno desta beatificação. Procuramos dar um conteúdo à reflexão dos milhares de grupos de famílias que temos na diocese. Os roteiros desses grupos foram todos voltados à vida e ao martírio da Albertina. Essa foi uma preparação muito importante de oração e reflexão.

Além disso, nós também elaboramos uma oração à bem-aventurada Albertina que tem toda uma catequese, procurando assim caracterizar bem a vivência dos valores evangélicos que ela viveu, procurando também caracterizar a vivência dos sacramentos da iniciação cristã que ela recebeu e viveu: batismo, eucaristia e crisma.Com isso, o martírio como tal foi uma conseqüência de toda essa vivência dos valores do Evangelho e a vivência dos próprios sacramentos da iniciação cristã.

Nós vamos começar também uma novena de celebrações eucarísticas, em que essa oração, com todos os pontos que ela apresenta de forma catequética serão novamente rezados e refletidos. São nove celebrações eucarísticas, nos nove dias que antecedem a beatificação, em todas as paróquias da diocese.

Então tivemos iniciativas de longo prazo, para que a beatificação não fosse só um momento, mas implicasse todo um aspecto evangelizador. E deu certo. Realmente o povo está muito mais preparado, não só para dizer que alguém será beatificado, no nosso caso uma filha da diocese, mas alguém que de fato viveu uma santidade, respondendo à vocação batismal.

A frase que nós colocamos para o ano da beatificação foi esta: «Sem medo de ser santo e santa». Para justamente dizer que, assim como a Albertina, enquanto batizada, viveu radicalmente a vocação batismal à santidade, nós também devemos viver essa vocação batismal à santidade.

– Que mensagem a Albertina deixa especialmente para os jovens?

Dom Jacinto Bergmann: Uma menina que ousou ser santa, esse é o primeiro ponto, uma ousadia evangélica. Por isso é que esta frase é importante: «sem medo de ser santo e santa». Que o jovem hoje não tenha medo de ser santo. Afinal de contas, a Albertina, como jovem, ousou isso.

Em segundo lugar, foi uma menina que realmente viveu a vontade de Deus, derramando seu sangue, e defendeu a vida em plenitude e especialmente a dignidade da mulher, dignidade essa que hoje está tão desvalorizada.

(Fonte: wwww.zenit.org)

Share Button

 

comentário(s)

  1. Maysa disse:

    Eh muito bom saber que jovens ainda desejam morrer a deixar de viver a castidade, viver plenamente a virtude que todos temos como maior tesouro dado por Cristo… Gostaria de saber muito mais sobre esse querido exemplo para nós jovens… Paz e Bem…

  2. socorro disse:

    Não sei explicar… nunca fui muito ligada à Igreja, mas há mais ou menos duas semanas me sinto tocada… de uma forma que nao sei explicar. Sinto vontade de chorar intensamente e todas essas historias estao chegando a mim de formas mais estranhas ainda. Primeiro foi a vida de santa Bernadete depois da beata Imelda e agora essa menina Albertina. Sou mãe, dona de casa. Não tenho nada na vida, mas estou sendo absorvida por uma fé que eu nao tinha antes… e me sinto tão desmerecedora de tudo o que o meu Senhor tem feito por mim…

  3. Maria de Fatima disse:

    Pedi a Albertina a graça da cura do meu filho Hugo e prometi divulgar esta graça contando a historia de seu sofrimento e fé. Aradeço desde já. Confio em DEUS que sua ajuda Albertina curará meu filho de uma doença do corpo e do espirito. Amém.

  4. Gabriel disse:

    Sinto-me muito bem quando entro neste site. Cristo vive aqui em comunhão com toda a Igreja. Sou de Portugal e sou cristão. Vou fazer o Crisma e peço a benção de Deus para que tudo corra segundo a sua vontade cá em Portugal como também aí no nosso Brasil.
    PAZ E BEM…
    Santifiquemo-nos sempre em Igreja

  5. cantodapaz disse:

    **** OBRIGADA A TODOS PELAS BELAS PALAVRAS. DESEJAMOS QUE O GABRIEL, QUE INICIA AGORA SUA CAMINHADA AUTÊNTICA COMO CRISTÃO, SE TORNE UM VALENTE PREGADOR DO EVANGELHO. ****

  6. fatima rosso waterkemper disse:

    entrei aqui por coriosidade e gostei muito.
    tudo o que se refere a Albertina me chama atenção, pois à muitos anos eu obtive uma grande
    graça de S. Albertina

Deixe uma resposta