Canonização do Beato Frei Galvão – o primeiro santo brasileiro

domingo, fevereiro 25, 2007

Primeiro santo nascido no Brasil, Frei Galvão será canonizado pelo Papa em São Paulo.
Vaticano confirma que Bento XVI celebrará cerimônia no dia 11, no Campo de Marte.

GRATIDÃO

A pintura sobre azulejos, no Mosteiro da Luz,
foi um presente pela cura de uma menina vítima de apendicite,
na década de 40.

23 de fevereiro de 2007 – O Papa Bento XVI autorizou esta sexta-feira a canonização do beato Frei Galvão (Antônio de Sant’Anna Galvão), que se tornará o primeiro santo nascido no Brasil.

A cerimônia será celebrada pelo Papa durante sua estadia em São Paulo, no dia 11 de maio próximo, no aeroporto Campo de Marte, zona norte da cidade.

Bento XVI visitará o Brasil para abrir os trabalhos da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, que se realizará de 13 a 31 de maio, no Santuário de Aparecida.

A arquidiocese de São Paulo se manifestou afirmando que «se alegra e agradece ao Santo Padre a honra de podermos celebrar momento tão significativo para a Igreja».

A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) também expressou sua satisfação ao receber a comunicação da Secretaria de Estado da Santa Sé confirmando que o Santo Padre dera seu consentimento à canonização.

«A CNBB, ao mesmo tempo que agradece ao Papa Bento XVI por esta decisão, convida todo o povo a alegrar-se pela canonização do primeiro santo nascido no Brasil», afirmou o organismo em nota.

Vida

Frei Antônio de Sant’Anna Galvão nasceu em Guaratinguetá (176 km de São Paulo), cidade vizinha ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida.

Frei Galvão nasceu em 1739 de uma família profundamente piedosa e conhecida pela sua grande caridade para com os pobres.

Segundo narra biografia difundida pela Santa Sé, batizado com o nome de Antônio Galvão de França, depois de ter estudado com os Padres da Companhia de Jesus, na Bahia, entrou na Ordem dos Frades Menores em 1760.

Foi ordenado Sacerdote em 1762 e passou a completar os estudos teológicos no Convento de São Francisco, em São Paulo, onde viveu durante 60 anos, até à sua morte ocorrida a 23 de Dezembro de 1822.

A vida de Frei Galvão foi marcada pela fidelidade à sua consagração como sacerdote e religioso franciscano, e por uma devoção particular e uma dedicação total à Imaculada Conceição, como «filho e escravo perpétuo».

Além dos cargos que ocupou dentro da sua Ordem e na Ordem Terceira Franciscana, ele é conhecido sobretudo como fundador e guia do Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição, mais conhecido como «Mosteiro da Luz», do qual tiveram origem outros nove mosteiros.

Além de Fundador, Frei Galvão foi também o projetista e construtor do Mosteiro que as Nações Unidas declararam Patrimônio cultural da humanidade.

Enquanto ele ainda vivia, em 1798 o Senado de São Paulo definiu-o «homem da paz e da caridade», porque era conhecido e procurado por todos como conselheiro e confessor, além de o franciscano que aliviava e curava os doentes e os pobres, no silêncio da noite.

Segundo refere o texto vaticano, Frei Galvão convida-nos a crescer em santidade e na devoção a Nossa Senhora da Conceição e deixa a todos nós brasileiros a grata mensagem de sermos pessoas da paz e da caridade, sobretudo para com os pobres e os marginalizados.
Fonte: http://www.zenit.org

para ler mais sobre a vida de Frei Galvão, clique aqui

Share Button

 

comentário(s)

  1. Wanderlan José Azambuja Lopes disse:

    Muito obrigado por me mandar maravilhas, Estou muito feliz, Deus elumine. Feliz ano de 2009, que todos Santos Franciscanos nos iluminem! Abraço.

  2. Marcos Tavares disse:

    Gostei muito das informações. gostaria de pedir a vcs que se tiverem as partituras da missa de frei galvão ou outros cantos deles que me mandem. esteremos celebrando o tríduo em nossa paróquia. de já agradesço a atenção.

Deixe uma resposta