19a. A canonização de São Francisco

sábado, fevereiro 3, 2007

A partir de 1227 as Senhoras Pobres (as clarissas) passaram a ficar oficialmente aos cuidados dos Frades Menores (os franciscanos), através de uma bula papal de Gregório IX.

Em 16 de julho de 1228 aconteceu a solene canonização de São Francisco, em Assis, presidida pelo papa Gregório. Foram convidados vários bispos, abades, padres, reis, condes e cavaleiros, vindos das regiões e Países mais longínquos. Havia também uma enorme de homens e mulheres de todas as idades.

O papa pregou a todo o povo, anunciando as mensagens de Deus. Falou sobre São Francisco, relembrando, entre lágrimas, a sua conversão e enaltecendo a sua simplicidade vivida durante toda a vida. Logo após a homilia foram apregoados todos os milagres realizados por intercessão de São Francisco. A partir daí a emoção tomou conta de todos durante a celebração. Todos os presentes choraram: o papa, os bispos, os padres e o povo.

Ao final, o papa Gregório o declarou santo e determinou que sua festa fosse celebrada no dia de sua morte.

Uma vez que o Santo Padre se encontrava em Assis, aproveitou a ocasião para visitar Santa Clara no mosteiro de São Damião, como era seu costume, sempre que possível.

Nesta visita fez-lhe a famosa proposta de dispensá-la do voto de pobreza, já que achava que as Senhoras Pobres viviam num rigor muito exagerado, por estarem obrigadas a isto devido ao voto que haviam feito. Ele se preocupava com o sustento e a saúde das Irmãs, visto que elas, como São Francisco e seus frades, não aceitavam ter qualquer tipo de propriedade. Isto era algo que o papa e a Igreja não conseguiam compreender, por mais que tentassem. Por este motivo, propôs dispensá-la do voto de pobreza. Santa Clara lhe respondeu que de modo algum queria tal dispensa; queria apenas ser desligada de seus pecados.

O papa Gregório IX, apesar de todo o amor e amizade que nutria por São Francisco e Santa Clara de Assis, apesar de fazer questão de manter uma convivência estreita com eles, nunca irá compreender este ideal de viver “sem nada de próprio” e de seguir na íntegra o “Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

Share Button

 

comentário(s)

  1. Leonardo de Souza disse:

    Gostei muito dos artigos e gostaria de saber quando e qual papa canonizou São Sebastião e em que ano foi sua caninização. Obrigado.

  2. cantodapaz disse:

    LEONARDO, ISTO MERECERIA UMA BOA PESQUISA NA INTERNET. QUEM SABE EM BREVE? ABRAÇOS.

Deixe uma resposta