São Maximiliano Maria Kolbe, franciscano conventual

domingo, dezembro 31, 2006

Comemorado no dia 14 de agosto

São Maximiliano ao centro

São Maximiliano Maria KoIbe. Sacerdote e mártir da Primeira Ordem (1894-1941). Canonizado por João Paulo II em 10 de outubro de 1982.

Maximiliano Maria Kolbe nasceu em 08 de janeiro de 1894, em Zdunskawola, perto de Lodz, na Polônia Central, foi o segundo dos cinco filhos. Aos 10 anos aconteceu um fato extraordinário: apareceu-lhe a Virgem mostrando duas coroas, uma branca e a outra vermelha.Ema lhe perguntou qual delas queria e ele respondeu que queria as duas. Aos 13 anos entrou na Ordem dos Irmãos Menores Conventuais, em Leópolis.

Depois dos primeiros estudos e do noviciado foi enviado a Roma para aperfeiçoar-se nos estudos teológicos, no Colégio Internacional de São Teodoro, onde obteve a graduação em Teologia e Filosofia.Inspirando-se nos ideais marianos do franciscanismo, em 16 de outubro de 1917 com outros co-irmãos, dois romenos e quatro italianos, fundou a “Milícia da Imaculada”. No ano seguinte foi ordenado sacerdote. Em 1919 regressou a sua pátria e começou seu apostolado mariano segundo o espírito da”Milícia da Imaculada”, dando vida aos grupos marianos, atividades religiosas e culturais.

Em 1927 fundou a “Cidade da Imaculada, Niepokalanow, onde procurava viver uma intensa vida espiritual consagrada a Maria. Seus habitantes dedicam às diversas formas de apostolado, especialmente o da boa imprensa, empregando os inventos mais modernos da tecnologia. Executou uma série de construções a 40 km de Varsóvia, organizando uma tipografia, que alcançou um alto nível de publicações.com a participação de muitos obreiros, profissionais, técnicos, todos consagrados ao trabalho da Imaculada e o bem do próximo. Ardendo de zelo em levar a Deus todos os homens por meio da Imaculada, viajou ao Oriente, em 1930. Perto de Nagasaki, no Japão, fundou a segunda cidade da Imaculada com os mesmos objetivos, conseguindo também ali um notável desenvolvimento das obras no meio da população não cristã. Do Japão passou para a Índia, a fim de fundar um novo centro mariano, mas, devido a sua saúde precisou renunciar.

Em 1936 regressou a Polônia, onde retomou a direção da cidade da Imaculada levando-a em 1938 ao máximo de seu desenvolvimento. A II guerra mundial e a invasão da Polônia marcaram a destruição de sua obra.

Sua prisão em vários campos de concentração marcou sua “Via Crucis” até fevereiro de 1941, quando foi deportado para o campo de extermínio de Auschwitz, onde ofereceu sua vida para salvar um pai de família, condenado como represália, com outros nove, no “bunker” da fome. Ali foi morto em 14 de agosto com uma injeção de acido fênico e logo no dia seguinte, na festa da Assunção, foi atirado ao forno crematório. Tinha 47 anos.

(Texto: http://www.ffb.org.br / Figuras: http://www.milicia.org.br)

Share Button

 

comentário(s)

  1. Michelly Pacheco disse:

    Gostei muito do que escreveram sobre São Maximiliano, sou apaixonada pela Milícia da Imaculada e gostaria de receber as novidades desta site Obrigada

  2. suely vieira de sousa disse:

    Parabens, por este artigo maravilhoso sobre este santo, gosto muito da Milicia da Imaculada eu já recebo a revista e estou muito feliz por isso.

Deixe uma resposta