32. O Cântico do Irmão Sol

sábado, outubro 21, 2006

Altíssimo, onipotente, bom Senhor,
Teus são o louvor, a glória, a honra E toda a bênção.
Só a ti, Altíssimo, são devidos;
E homem algum é digno De te mencionar.

Louvado sejas, meu Senhor,
Com todas as tuas criaturas,
Especialmente o senhor irmão Sol,
Que clareia o dia
E com sua luz nos alumia
E ele é belo e radiante com grande esplendor:
De ti, Altíssimo, é a imagem.

Louvado sejas, meu Senhor,
Pela irmã Lua e as Estrelas,
Que no céu formaste claras
E preciosas e belas.

Louvado sejas, meu Senhor,
Pelo irmão Vento,
Pelo ar, ou nublado
Ou sereno, e todo o tempo,
Pelo qual às tuas criaturas dás sustento.

Louvado sejas, meu Senhor
Pela irmã Água,
Que é mui útil e humilde
E preciosa e casta.

Louvado sejas, meu Senhor,
Pelo irmão Fogo
Pelo qual iluminas a noite.
E ele é belo e jucundo E vigoroso e forte.

Louvado sejas, meu Senhor,
Por nossa irmã a mãe Terra,
Que nos sustenta e governa,
E produz frutos diversos
E coloridas flores e ervas.

Louvado sejas, meu Senhor,
Pelos que perdoam por teu amor,
E suportam enfermidades e tribulações.
Bem-aventurados os que as sustentam em paz,
Que por ti, Altíssimo, serão coroados.

Louvado sejas, meu Senhor,
Por nossa irmã a Morte corporal,
Da qual homem algum pode escapar.
Ai dos que morrerem em pecado mortal!
Felizes os que ela achar
Conformes à tua santíssima vontade,
Porque a morte Segunda não lhes fará mal!

Louvai e bendizei a meu Senhor,
E dai-lhe graças,
E servi-o com grande humildade.

Este cântico foi composto por São Francisco já próximo da morte, quando estava muito doente. Ele incentiva a criação a louvar o Criador de tudo.

Francisco havia se recolhido numa cabana de palhas em São Damião e estava praticamente cego. Era por volta do ano de 1225.

Pouco depois acrescentou acrescentou a estrofe que fala da paz, a fim de reconciliar o bispo e o prefeito de Assis que estavam em discórdia.

Share Button

 

comentário(s)

  1. Elizabeth Cristina de Souza Magalhães disse:

    Para mim, esta oração (“Cântico do Irmão Sol”) é o mais completo “hino” de louvor ao Pai. Apresenta visão ecológica, lembra-nos que a essência divina está presente em todas as criaturas. Gosto de rezá-la (havia perdido o texto) porque, ao fazê-lo, sinto-me em comunhão com o Pai e com as demais criaturas.

  2. João disse:

    Este cântico é um verdadeiro louvor ao Deus Altissimo, e como sempre, S.Francisco fala da naturesa, o que lhe é peculiar. Parabéns por estes artigos.

Deixe uma resposta